Geral

Tribunal mantém sentença e dupla acusada de matar jovem em Sinop vai à júri popular

O Tribunal de Justiça decidiu manter inalterada a sentença proferida pela Vara Criminal de Sinop para submeter a júri popular dois acusados de envolvimento no assassinato de Augusto Marinhos Ferreira, 20 anos. O jovem foi morto com tiros de espingarda e uma facada no peito, em dezembro de 2019. O corpo dele foi encontrado carbonizado em um Renault Clio, placas de Sinop, na estrada Monalisa, na zona rural do município.

A defesa dos dois réus entrou com recurso no Tribunal de Justiça pedindo a absolvição da dupla. Em relação a um dos acusados, a alegação é de que a sentença que determinou o júri popular foi “escorada apenas na fala de uma testemunha”. A defesa também pediu para que o réu fosse absolvido pelo crime de ocultação de cadáver.

Em ambos os casos, os desembargadores do Tribunal de Justiça decidiram manter a sentença. Desta forma, a dupla será julgada por homicídio qualificado, cometido de maneira que dificultou a defesa da vítima. Também responderão em júri popular por ocultação de cadáver. Ainda cabe recurso.

A Polícia Civil apurou que, no dia 5 de dezembro de 2019, Augusto e os dois suspeitos teriam participado de um roubo em uma propriedade rural na região. Segundo a denúncia, a “empreitada criminosa” não teria ocorrido como planejada, uma vez que Marinhos teria deixado de buscar os comparsas no local combinado, o que teria causado um “aborrecimento” em um dos acusados.

Apesar disso, no mesmo dia, Augusto e os acusados teriam feito uma confraternização em uma residência, onde consumiram “bebidas alcoólicas e entorpecentes durante toda a noite”. No dia seguinte, conforme a denúncia, os acusados decidiram matar o jovem. Um deles teria pegado uma espingarda e atirado duas vezes no rosto de Augusto, que dormia em um dos cômodos da casa. Ao perceber que a vítima continuava respirando, o suspeito ainda teria dado mais uma facada. Em seguida, com auxílio de um terceiro acusado, o corpo foi colocado no próprio veículo da vítima e levado até a zona rural, onde foi carbonizado.

Em janeiro de 2020, dois mandados de prisão contra suspeitos de envolvimento no assassinato foram cumpridos pela Polícia Civil. Um dos acusados foi localizado, em Foz do Iguaçu (PR), após troca de informações entre a Polícia Civil daquele Estado e a Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) de Sinop. Já o segundo suspeito havia sido preso, dias antes, por posse ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas e já estava no presídio Osvaldo Florentino Leite, o “Ferrugem”.

As investigações apontaram para um grupo criminoso envolvido em vários crimes de roubos a comércios e propriedades rurais em Sinop. O delegado Ugo Ângelo Reck Mendonça informou, anteriormente, que o grupo foi responsável por pelo menos 4 roubos ocorridos em Sinop e região. “Eles praticaram o roubo a uma fazenda na cidade de Feliz Natal (130 km de Sinop), no dia 15 de novembro. Na ocasião, os criminosos subtraíram mais R$ 225 mil em produtos agrícolas que haviam chegado à propriedade no dia anterior”, disse o delegado.

O gerente e um funcionário da fazenda foram rendidos pelos criminosos e obrigados a carregar o veículo com os defensivos. Durante as investigações, vários produtos roubados pelos suspeitos foram recuperados em ações das polícias Civil e Militar. Alguns foram localizados em uma casa no bairro Vila Santana, em Sinop, onde foram apreendidos 27 galões de agrotóxicos.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: Só Notícias/Guilherme Araújo/arquivo)