Geral

Tenente é absolvida por morte de bombeiro mas pega 1 ano de detenção por maus-tratos; família que mora em Sinop fez protesto

A tenente Izadora Ledur acaba de ser absolvida da acusação de ter torturado e levado à morte o aluno bombeiro Rodrigo Patrício Lima Claro, 21 anos. O jovem morreu após participar de um treinamento na lagoa Trevisan, em Cuiabá. Ledur foi submetida a julgamento militar, hoje, e os jurados entenderam que ela não cometeu o crime descrito na denúncia do Ministério Público.

Por outro lado, a maioria entendeu que ela cometeu o crime de maus-tratos e, por isso, foi aplicada a pena de um ano de detenção, a ser cumprida em regime aberto. Ela não perderá a função pública e segue no Corpo de Bombeiros de Mato Grosso. Ainda cabe recurso.

Durante o julgamento, a promotoria apresentou depoimentos de testemunhas que confirmaram que Rodrigo tinha dificuldades no treinamento aquático e que teria sido perseguido pela tenente. No dia em que morreu, o aluno, segundo as testemunhas, sofreu diversos “caldos” (afogamentos) cometidos por Ledur.

No entanto, o juiz Marcos Faleiros, que presidiu a sessão, lembrou que o laudo de necropsia não apontou relação entre o treinamento e a morte de Rodrigo Claro. Desta forma, segundo o magistrado, não houve provas do nexo causal entre a morte do aluno e a conduta da tenente.

Dois militares votaram com Faleiros pela condenação por maus tratos e um abriu voto divergente apenas para que Ledur perdesse a função pública. O quarto voto (vencido) foi pela condenação por tortura, com pena de oito anos de cadeia e perda de função.

Rodrigo Claro morreu em 15 de novembro de 2016, cinco dias após ser internado. Ele passou mal após o treinamento de salvamento aquático na Lagoa Trevisan e foi buscar socorro médico. Da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Verdão, ele foi encaminhado para o Hospital Jardim Cuiabá, onde faleceu.

Familiares de Rodrigo saíram de Sinop, ontem, e foram a Cuiabá protestar pedindo justiça e acompanhar o julgamento da tenente.

 

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: reprodução)