Geral

Sinop: Sintep encaminha documento e diz que prefeitura pode diminuir jornada dos profissionais da Educação

O Sindicato dos Profissionais do Ensino Público (Sintep) encaminhou um ofício à prefeita Rosana Martinelli, com diversas reivindicações aprovadas, ontem, em assembleia geral da categoria. No documento, o sindicato alega que o município tem condições de atender ao pedido para diminuir de 40 para 38 horas semanais a jornada dos técnicos administrativos, e de 38 para 36 horas a jornada dos professores.

Para embasar a solicitação, o Sintep aponta que, apenas em 2017, o município efetivou aproximadamente 1,5 mil novas matrículas, com recursos próprios. Segundo o sindicato, a partir de janeiro de 2018, essas matrículas entrarão no “cômputo das transferências do Fundeb e representarão um mais de R$ 5 milhões” para o município. O sindicato alega que tal recurso seria suficiente para “absorver o impacto financeiro da alteração das jornadas de trabalho”.

Os profissionais aprovaram a realização de nova assembleia geral, marcada para amanhã. Segundo a presidente do Sintep, Maria Aparecida Lopes, as deliberações ainda não estão definidas, no entanto, não está descartada greve por tempo indeterminado na rede municipal. “Vamos terminar os três dias de paralisações e fazer nova assembleia. Até amanhã pode mudar tudo. Temos reunião marcada com os vereadores hoje e, deste encontro, pode ser que saia algo de positivo”, afirmou, ao Só Notícias.

Desde ontem, os trabalhadores estão de braços cruzados. A mobilização dura até amanhã. Em agosto, os professores fizeram uma paralisação que durou um dia, em frente à Secretaria Municipal de Educação. Segundo o Sintep, na ocasião, mais de 90% das escolas aderiram ao ato.

No início do mês passado, a secretária municipal de Educação, Veridiana Paganotti, afirmou, ao Só Notícias, que a prefeitura não possuía recursos financeiros para atender ao pedido da categoria. “Estamos avaliando mensalmente o orçamento. Infelizmente, até agora, o momento financeiro não permite atender ao anseio da categoria. Porém, estamos ansiosos por uma recuperação econômica que permitirá dialogar e precisar uma data (para redução da jornada) ao sindicato”, adiantou Veridiana, na ocasião.