Geral

Sinop não cumpriu metas de prevenção e controle da dengue este ano, aponta ministério

Há uma boa explicação para Sinop permanecer no primeiro lugar do ranking dos municípios que mais apresentaram incidência de dengue este ano. Dados do levantamento do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) apontam que a prefeitura não cumpriu as metas estipuladas pelo Ministério da Saúde para controle e prevenção das endemias.

Para cada ciclo, composto por dois meses, os agentes devem visitar, no mínimo, 55 mil imóveis, dos 69.712 existentes hoje no município. Porém, de acordo com o relatório, foram visitados cerca de 45 mil locais no primeiro ciclo (janeiro e fevereiro), aproximadamente 35 mil no segundo (março e abril) e menos de 30 mil no terceiro (maio e junho). “Desta forma fica evidente a necessidade de adequação de servidores para a manutenção das atividades, visto que não foi possível atingir, pelo menos 80% ou mais dos imóveis em nenhum dos três ciclos”, destaca o levantamento.

Uma razão para o não cumprimento das metas seria a falta de servidores no município. Segundo informações do Sistema do Programa Nacional do Controle da Dengue (SisPNCD), Sinop tem 39 agentes, quatro servidores, um supervisor geral, um laborista e um motorista. Dos servidores, 37 são vinculados à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e nove à Fundação Nacional de Saúde (FUNASA). Para o Ministério, o município deveria ter, no mínimo, 70 agentes. Uma equipe ideal, por outro lado, seria composta por 87 servidores. Uma fonte de Só Notícias ainda informou que os números apresentados pela prefeitura não estão atualizados. Segundo ela, de 46 agentes, 15 já foram demitidos após a época das chuvas e mais um teria morrido.

Sinop teve, de janeiro a julho, 2.763 notificações de casos de dengue, o maior número no Estado. Até o dia 8 de julho foram confirmados 956 casos da doença.