quarta-feira, 17/julho/2024
PUBLICIDADE

Sinop: documentário traz histórias de pescadores do rio Teles Pires; assista

PUBLICIDADE
Redação Só Notícias (foto: assessoria)

O documentário “Histórias de Pescadores da Bacia do rio Teles Pires” realizado pela pós-doutoranda e professora Liliane Stedile de Matos no campus de Sinop da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), está disponível no YouTube. O projeto conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Mato Grosso.

A proposta do vídeo documentário é eternizar histórias e vivência de pescadores da bacia do rio Teles Pires, e foi elaborado como agradecimento à parceria dos pescadores junto ao projeto de ciência cidadã “De olho no peixe matrinxã”. Além disso, busca resgatar o conhecimento tradicional de pescadores sobre o peixe Matrinxã (Brycon falcatus). A espécie é uma das principais dispersores de sementes da bacia do rio Teles Pires.

O Laboratório de Ictiologia Tropical desenvolve ações para impulsionar o apoio de pescadores amadores, como conta a professora Lucélia Nobre Carvalho, coordenadora do laboratório. “Desde 2021 está sendo desenvolvido o projeto “De olho no peixe matrinxã: utilizando a ciência cidadã como ferramenta” que busca o engajamento de pescadores amadores, esportivos e profissionais artesanais, para levantamento de dados do peixe matrinxã na bacia do rio Teles Pires através do uso de um aplicativo de celular”, explica a professora sobre o aplicativo disponível e atua no rio Teles Pires desde 2008.

De acordo com a docente, a proposta do projeto é impulsionar o apoio para a atividade pesqueira. “Além disso, o projeto vem resgatando o etnoconhecimento dos pescadores sobre o histórico da atividade pesqueira, através de entrevistas com questionários, levantando informações sobre o comportamento natural, dieta, rotas migratórias e biologia reprodutiva. Os dados coletados poderão preencher lacunas do conhecimento sobre esta espécie icônica para esta região, e futuramente contribuir para a elaboração de propostas de manejo e conservação”, relata a professora Lucélia Nobre Carvalho.

O projeto impulsiona a ideia de preservação em conjunto com a vida das pessoas que moram na região. “Diante disto, a experiência da gravação das entrevistas com os pescadores, a elaboração e divulgação do vídeo documentário deu vez e voz aos pescadores, suas histórias e conhecimento tradicional. Assim, estreitamos laços com a comunidade pesqueira e divulgamos o projeto de ciência cidadã”, ressalta a professora a respeito da motivação para o documentário.

Receba em seu WhatsApp informações publicadas em Só Notícias. Clique aqui. 

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

PUBLICIDADE