Geral

Sinop: designer ajuda a desenvolver técnica 3D em procedimento de cirurgia facial

O designer sinopense Cícero Moraes e o cirurgião ortognático (especialista em correção das deformidades dos maxilares) gaúcho Everton Luis da Rosa desenvolveram a técnica de planejamento cirúrgico baseado em software livre. A nova ferramenta auxilia os reparos em pacientes com algum tipo alteração ou deformidade facial. A técnica é realizada antes do procedimento cirúrgico. Os pacientes passam  por uma sequência de fotos, que são transferidas para um programa de cálculos de reconstrução em 3D.

O método possibilita ao cirurgião uma predefinição de como o paciente pode ficar após a operação. Na reconstrução 3D é possível que o profissional faça cortes computadorizado modelados em malhas 3D, para diagnosticar possíveis  problemas antes de fazer a cirurgia. No método tradicional os pacientes fazem uma tomografia óssea para definir o local que será corrigido, sem um pré-visualização do resultado final. A cirurgia ortognática é conhecida por modificar a posição do maxilar, queixo e gengiva, alterando consideravelmente a fisionomia do paciente".

O  cirurgião ortognático Everton Luis da Rosa disse, ao Só Notícias, que a cirurgia é indicada para pacientes com alterações de crescimento ósseo dos maxilares, que causam deformidade na face e alterações na mordida. Essa deformidade pode provocar ou não dores na musculatura ou nas articulações.

"As deformidades dentofaciais provocam alterações funcionais (respiratórias, dicção, oclusão dentária que interferem na mastigação) além do aspecto estético.  Atualmente o planejamento cirúrgico para correção das anomalias permitem a simulação tridimensional dos movimentos dento-esqueléticos e dos tecidos moles dos pacientes. Assim o planejamento cirúrgico virtual 3D supera os métodos tradicionais utilizados (cefalometria bidimensional tradicional, modelos de gesso por exemplo) com grande precisão e redução de tempo de planejamento o que se reflete no ato cirúrgico mais previsível e confiável".

Em entrevista ao Só Notícias, Cicero Moraes explicou que a técnica é recente, mas possibilita menos desgastes para os pacientes durante a cirurgia, já que o profissional pode praticar e analisar o corte ósseo antes do procedimento real. “Quando um cirurgião vai fazer esse trabalho ele consegue se planejar utilizando essa ferramenta. Sinto-me honrado por poder participar de um projeto como esse que aproveitou meus anos de experiência com computação gráfica para aplicá-los em planejamentos cirúrgicos que podem melhorar a vida das pessoas. O mais importante é que vamos compartilhar esse conhecimento muito em breve, pois como sempre digo, não somos os donos da metodologia e ela foi concebida  para ser repassada”.

A nova técnica possibilita diminuir as chances de erros, já que os profissionais  podem praticar e rever quantas vezes for necessário o procedimento cirúrgico virtualmente. “É um passo importante para auxiliar os profissionais a abordarem melhor os procedimentos cirúrgicos, os conhecimentos sobre anatomia e uma possibilidade de enriquecer a pesquisa como um todo. No nosso caso trabalhamos majoritariamente com software livre, o que aumenta ainda mais as possibilidades de utilização dos softwares por um grande número de pessoas, já que são quase sempre gratuitos também” , apontou Cícero.

Cícero ficou mundialmente conhecido após "revelar", as faces santas da igreja católica. O primeiro trabalho foi com santos mais populares  do Brasil, Santo Antônio e Maria Madalena e outros três santos peruanos Santa Rosa de Lima, San Martinho de Porres e  San Juan de Macias.