Geral

Representantes da polícia colombiana conhecem modelo de segurança em Mato Grosso

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante, recebeu hoje, os oficiais da Polícia Nacional da Colômbia, tenente-coronel Marco Antônio Pulido Segura e major Gustavo Aldolfo Cortes Moya. O objetivo da vinda dos militares ao Estado é para conhecer o modelo de segurança pública local, em especial na região de fronteira. Bustamante explicou a atuação do Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron), responsável por 900 quilômetros de fronteira entre Mato Grosso e Bolívia, sendo que destes 700 são de fronteira seca com o país vizinho.  “O trabalho realizado pelo Gefron tem se destacado nacionalmente e até mesmo internacionalmente. Somente neste ano, a unidade foi responsável pela apreensão de mais de 13 toneladas de entorpecentes na região de fronteira. São mais de R$ 200 milhões de prejuízo ao crime”, pontuou o secretário.

O trabalho de apoio às forças de segurança do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) também foi apresentado durante a reunião. Além disso, o secretário explicou como se dá a atuação de organizações criminosas ligadas ao tráfico de drogas não só em Mato Grosso, mas no país de uma maneira geral. Outro assunto abordado foi o Sistema Penitenciário, já que o problema de falta de vagas também é uma realidade na Colômbia. O secretário apresentou o recém-lançado raio 6 da Penitenciária Central do Estado (PCE), que será o novo modelo implementado em Mato Grosso com a criação de mais 4 mil vagas nas unidades penais, reduzindo consideravelmente esse déficit.

Os visitantes também puderam conhecer a estrutura do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e as tecnologias de ponta utilizadas no combate ao crime. O tenente-coronel da Polícia Nacional Colombiana, Marco Antônio Pulido Segura, explicou que diferente do Brasil, onde há a atuação de diversas polícias, as forças de segurança colombianas estão centralizadas apenas na Polícia Nacional, o que é um grande desafio, principalmente nas regiões de fronteira, em especial na fronteira com a Venezuela. Atualmente, Segura comanda mais de 480 policiais apenas no combate ao narcotráfico na Colômbia.

Nesta terça-feira, os militares colombianos conhecerão in loco o trabalho de fronteira realizado pelo Gefron e também pela Delegacia Especializada de Fronteira (Defron), da Polícia Civil. Também participaram da reunião, o coordenador militar do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, coronel PM Alexandre Corrêa Mendes, o secretário adjunto da Sesp, Carlos Davim, o secretário de Integração Operacional, coronel PM Victor Fortes e o secretário de Inteligência, Wylton Massao Ohara.

Na Polícia Militar o encontro dos oficiais colombianos foi com o comandante geral, coronel PM Jonildo José de Assis, o comandante geral adjunto, coronel PM Delwison Sebastião Maia e o subchefe de Estado Maior, coronel PM Wankley Corrêa Rodrigues. Coronel Assis explanou sobre a estrutura, forma de atuação, produtividade operacional, projetos sociais, Escolas Militares Tiradentes e outras ações. Os oficiais da Polícia Nacional Colombiana quiseram saber, por exemplo, como se formam as equipes e quais os veículos usados no policiamento.

O comandante geral explicou que a PM tem o comando central, o comando especializado e os comandos regionais com unidades com área de atuação específica. E ainda, aqui as equipes vão às ruas com no mínimo dois policiais. Além dos coronéis Paulo Victor Fortes e Alexandre Mendes, também participaram do encontro o diretor de Inteligência da PM, coronel Fábio Andrade e o superintendente de Apoio Logístico, tenente-coronel Fabiano Pessoa.

Redação Só Notícias