Geral

Rapaz é condenado por homicídio em Sinop. Julgamento de outro envolvido é adiado.

Em um dos julgamentos mais extensos no Tribunal do Júri da Comarca de Sinop (que começou às 08:30h e terminou por volta das 23:30) os jurados consideraram que o réu Emerson Etore Moraes é culpado pelo assassinato de Roni Clei Marangoni, em 1996. O juiz fixou sua pena em 1 ano e 7 meses de prisão. O júri, por unânimidade, acatou a tese da defesa de homicídio culposo e condenou o réu. De acordo com o advogado de Emerson, Cláudio Alves Pereira, como já se passaram 8 anos após o crime e o prazo prescreveu, a pena foi extinta.

Se fosse acatada a tese da acusação, de homicídio qualificado, o réu poderia pegar uma pena de 12 a 20 anos. Emerson estava dirigindo o carro que saiu em perseguição a Roni Clei Marangoni, em 10 de novembro de 1996. Além de Emerson há outro acusado de envolvimento no assassinato de Roni. É Marcelo dos Santos, que teria atirado nas costas de Roni. O julgamento de Marcelo dos Santos, que também seria ontem, foi adiado porque o réu está sem advogado. Deverá ser nomeado um defensor público e o júri deverá ser realizado na próxima temporada. Marcelo, conhecido como Cascavel, foi preso há cerca de 20 dias, após confessar o assassinato da dona de casa Maria de Lourdes Bregolatto, moradora do Jardim Botânico.