quinta-feira, 18/julho/2024
PUBLICIDADE

Presidente manda Funai no Nortão negociar com índios desbloqueio da BR-163

PUBLICIDADE

A Coordenação Regional da Fundação Nacional do Índio de Colíder será responsável por negociar com índios da etnia Terena o desbloqueio da BR-163 entre as cidades de Itaúba e Sinop. Desde segunda-feira, ao meio-dia, os indígenas bloquearam a rodovia, principal que liga o Nortão a capital e demais regiões. Não há previsão para o tráfego ser liberado. Os manifestantes exigiam a presença do presidente substituto da Funai, Aloysio Guapindaia, a quem pretendem apresentar a pauta de reivindicações. No entanto, em Brasília, a determinação do próprio presidente Guapindaia foi para que a representação do órgão em Colíder assumisse as negociações na tentativa de encerrar o manifesto, que hoje entrou no terceiro dia.

A presidência da Funai determinou o deslocamento do coordenador substituto da Coordenação Regional em Colíder, Sebastião Martins, para estabelecer contato com as lideranças Terenas. A indicação para que um servidor da fundação na região assumisse os diálogos baseia-se no decreto de número 7056, de 28 de dezembro de 2009, que diz ser a Coordenação Regional responsável por representar política e socialmente o presidente da Funai na região.

Os indígenas cobram do governo a implantação de uma coordenação técnica local. Em comunicado feito ao Ministério Público Federal em Sinop, informaram que o objetivo da manifestação é reivindicar a criação de um posto da Funai dentro da Terra Indígena Terena na cidade de Peixoto de Azevedo.

O projeto da Funai, segundo os índios, seria o de implantar o posto na cidade de Guarantã do Norte para atender duas etnias conjuntamente: Terena e Panará. Ontem, Ministério Público Federal e o Ministério Público Estadual em Mato Grosso acionaram a Fundação Nacional do Índio, em Brasília, para que enviasse um representante para acompanhar as negociações com índios da etnia Terena.

Em relação ao pleito dos indígenas, a Funai informou, ao Só Notícias, “que a Terra Indígena Terena Gleba Iriri está na jurisdição da Coordenação Técnica Local de Guarantã do Norte, a cerca de 30 km da Terra Indígena”. Segundo a Funai, “esta é uma nova unidade que está em fase de instalação, devendo se concluir em curto prazo, com o intuito de prestar o atendimento necessário às reais necessidades da comunidade Terena da região”.

Na terça-feira, os manifestantes liberaram a passagem de veículos na BR-163 por algum tempo no início da tarde. No entanto, logo voltaram a impedí-la. Em alguns casos, motoristas têm optado por rotas alternativas para continuar a viagem pela região de Mato Grosso. Contudo, algumas delas aumentam a extensão percorrida em mais de 200 quilômetros.

Transtornos
Entre os transtornos ocasionados pelo protesto na região mato-grossense está o prejuízo financeiro gerado a empresários ou mesmo moradores das cidades vizinhas que viajavam para cumprir compromissos de trabalho. Os motoristas pegos de surpresa pelo protesto dos índios da etnia Terena viram-se obrigados a interromper a viagem pela região mato-grossense e aguardar a liberação da via. A Polícia Rodoviária Federal acompanha o movimento, visando evitar conflitos entre índios, motoristas e população.

Leia ainda
Índios não recuam, mantêm BR-163 bloqueada no Nortão e são criticados

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Dados de satélite indicam redução no número de focos de calor em Mato Grosso

Dados do Programa BDQueimadas do Instituto Nacional de Pesquisas...

Homem fica ferido em colisão entre carro e moto em Sinop

Um homem ficou ferido em um acidente no setor...

Coruja é resgatada em área de risco por morador de Sorriso

O filhote de coruja suindara (tyto furcata), também conhecida...
PUBLICIDADE