quarta-feira, 17/julho/2024
PUBLICIDADE

Policiais de MT passam por aprimoramento das técnicas operacionais

PUBLICIDADE

Atuar em uma unidade especializada exige conhecimento e constante preparo de seus policiais. Pensando no aprimoramento dos procedimentos e técnicas operacionais, a Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO), da Polícia Judiciária Civil, tem investido na qualificação dos policiais lotados na delegacia, para o correto emprego de equipamentos e técnicas modernas nas ocorrências policiais.

O aperfeiçoamento das técnicas policiais vem acontecendo desde o mês de julho deste ano, nas áreas de explosivos, reação e emboscada, cumprimento de mandado de prisão de alto risco, resgate de refém, trabalho em altura (rapel), instruções de tiro com armas de cano curto e longo, como pistolas, espingardas e fuzis 5,56mm e 7,62mm, modelos nacionais e de outras nacionalidades, além de preparo físico.

Um desses treinamentos aconteceu, na última quarta-feira (28), no stand de tiros da 13ª Brigada do Exército Brasileiro, no Coxipó do Ouro, em Cuiabá. Por 5 horas, cerca de 30 policiais, incluindo o delegado Gianmarco Paccola Capoani, 1 escrivão e investigadores do GCCO e da Gerência de Operações Especiais (GOE), com a participação de militares do serviço de inteligência da 13ª Brigada, os policiais treinaram a correta utilização dessas armas, dentro das técnicas e procedimentos policiais. Antes de partir para prática relembraram instruções teóricas, aprendidas na Academia da Polícia Civil.

O delegado chefe do GCCO, Flávio Henrique Stringueta, explicou que o treinamento faz parte de uma série de instruções que os policiais vêm recebendo, para que se mantenham atualizados e preparados para colocar em prática o conhecimento e habilidades necessárias ao cumprimento da demanda atribuída à Gerência.

Segundo o delegado, as ocorrências de roubo a banco envolvem sempre armamento pesado, a exemplos de fuzis utilizados pelas quadrilhas, e os policiais precisam estar habilitados para o uso desse tipo de arma e buscas na mata. Já os sequestros, exigem técnicas de inteligência e conhecimentos em combate em ambiente confinado (CQB), para um seguro resgate de vítimas em cativeiro. "A atualização dos policiais busca reforçar o conhecimento adquirido na academia e padronizar as ações para que todos saibam o que fazer numa ocorrência, preservando sua segurança e das pessoas", pontuou Flávio Stringueta.

Boa parte das instruções é ministrada pelo investigador, Joelson da Costa Almeida, que já fez parte da Gerência de Operações Especiais (GOE) e agora está lotado no GCCO. Com amplo conhecimento técnico e operacional, o policial tem cursos operações especiais, para lidar com explosivos, ocorrência em altura, resgate de refém, abordagem e cumprimento de mandado de prisão de alto risco, entre outras especialidades que estão sendo repassadas aos colegas. "Esse treinamento é utilizado no dia a dia e ajuda o policial na tomada de decisão rápida, eficaz e segura", analisa o investigador.

A próxima etapa do treinamento será com a utilização de aeronave.

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Coruja é resgatada em área de risco por morador de Sorriso

O filhote de coruja suindara (tyto furcata), também conhecida...

Justiça do Trabalho em Nova Mutum é a maior em número de novas ações

O Tribunal Regional do Trabalho informou que a vara...

Mulher que estaria embriagada sofre acidente com moto no Nortão

O acidente de trânsito envolvendo uma Honda Bros ocorreu,...

Motociclista é socorrida após colisão com caminhonete em Sinop

O acidente envolvendo Toyota Hilux branca e a Yamaha...
PUBLICIDADE