Geral

Polícia vai investigar ação golpista usando o nome do Programa Nota Mato Grosso

A secretaria de Fazenda de Mato Grosso divulgou, esta tarde, uma alerta  aos consumidores sobre a ocorrência de um golpe de estelionato em nome do Programa Nota Mato Groso. O Fisco recebeu novas denúncias de que golpistas se passam por servidores do órgão solicitando dados pessoais e até mesmo transferências em dinheiro. Aproveitando a popularidade do programa, os estelionatários entram em contato com diversas abordagens. De acordo com as denúncias, há casos em que é informado o valor de uma premiação falsa e em outras situações eles pedem que a pessoa se dirija a uma instituição bancária para receber novas orientações. Há ainda situações em que foi cobrado valores referentes a débitos tributários inexistentes.

O contato são realizados por meio de SMS, whatsapp e ligações. Conforme os relatos, os números são do DDD 65 e também de outros estados. Ao receber qualquer tipo de abordagem semelhante a essas, o consumidor deve se atentar e, por segurança, não fornecer informações ou fazer o que for solicitado.

“O Nota MT e a Sefaz não encaminham mensagens por SMS ou whatsapp. Não abram esse tipo de mensagem porque isso é fraude, eles estão querendo roubar os seus dados e, por favor, fiquem atentos para não caírem no golpe”, disse o secretário de Fazenda, Rogério Gallo.

O secretário explicou ainda, que existem dois canais oficiais de comunicação utilizados pelo Nota MT: a área restrita do usuário no site ou aplicativo e o endereço de e-mail informado pelo cidadão no momento da inscrição no Programa.

Em alguns situações, quando há necessidade, a equipe gestora do Programa Nota MT entra em contato por telefone com os sorteados, mas sempre com a devida identificação dos servidores fazendários. As ligações são realizadas para orientar o cidadão que possui alguma irregularidade que impede o recebimento do prêmio.

A Sefaz destaca que todas as denúncias recebidas de golpes utilizando o nome da instituição e do Nota MT são encaminhadas para a Delegacia Fazendária (Defaz), para as devidas providências. Além de denunciar, por meio da Ouvidoria e do atendimento online programa, o consumidor que se sentir ameaçado ou for vítima pode se dirigir à Polícia Civil para registrar boletim de ocorrência.

Redação Só Notícias