Geral

Polícia continua procurando falsário que aplicou golpes em Guarantã do Norte

A Polícia Civil ainda não conseguiu localizar o falsário que aplicou quase R$ 300 mil em golpes, em Guarantã do Norte, se fazendo passar por sócio da uma grande empreiteira, há mais de dois meses, como já foi divulgado por Só Notícias.
Passando-se por representante da empresa e afirmando que iria asfaltar o trecho restante da rodovia BR-163 até o Pará, ele alugou máquinas e caminhões em Sinop e com um falso crachá da empresa, aplicou golpes pelo comércio de Guarantã do Norte, chegando até a colocar o maquinário para trabalhar em um pequeno trecho.

Fez amizade com alguns políticos no município, contratou mais de 500 pessoas para trabalhar na obra, firmou convênios com empresas locais, adquiriu bens no comércio, alugou quartos nos melhores hotéis- tudo isso apenas com o “poder da palavra”, sem gastar um centavo. Na maioria dos contratos, o falsário pediu adiantamentos financeiros da outra parte. Em alguns deles, chegou a receber até R$ 50 mil.

O estelionatário também convenceu uma distribuidora de combustível de Sinop a lhe ceder 30 mil litros de óleo diesel, prometendo pagar depois. Usando o nome de Samuel Mendes, o falsário desapareceu da cidade quinze dias depois, dizendo que iria buscar de carro o presidente da empreiteira, que estaria em Sinop. Levou o dinheiro, carteiras de trabalho e outros objetos “adquiridos” no município e não foi mais localizado.

“Essa pessoa conseguiu enganar a todos, mexendo com as esperanças dos moradores daqui, que sonham com o asfalto”, afirma o prefeito de Guarantã do Norte, José Humberto Macedo ao jornal A Gazeta.

A única pista encontrada pela polícia até agora é uma conta bancária que contém depósitos supostamente dirigidos ao falsário. O delegado de Guarantã do Norte, Richard Damasceno, afirma que a conta, administrada por uma pessoa ligada a ele no Piauí, tinha R$ 19 mil e já foi bloqueada. Além disso, o delegado também pediu à Justiça a quebra do sigilo bancário do titular da conta.