Patricia Poeta vence processo por danos morais:’não usou produto para emagrecer’

Roberto Martins 2 - novembro 2014 (SN/Luiz)

Patricia Poeta foi ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (21), para uma julgamento contra a Nutreo Comércio Produtos Homeopáticos, que divulgou que a apresentadora havia tomado Cactinea (redutor de gordura e medida) para emagrecer os 10 kg – aprovados pelo filho, Felipe – que, segundo ela, foram eliminados após cortes de doces, bolo e pão do cardápio. Ao Purepeople , a assessoria confirmou a vitória da jornalista na ação. “O juiz Mauro Nicolau Junior, titular da 48ª vara Cível da Capital, julgou procedentes os pedidos de indenização por dano moral e pela utilização indevida da imagem da Patricia, considerando que a ré praticou ato ilícito extracontratual, pois nunca adquiriu, não utilizou o produto Cactinea, nem tampouco autorizou a vinculação de sua imagem ao produto”, declarou.

‘Seu emagrecimento não se deu em virtude de suplemento’, afirmou

“Entendeu o juiz que fora praticada propaganda enganosa, e determinou que a empresa publique, em um jornal de grande circulação e em sua página do Facebook, a informação de que a autora não adquiriu, nem utilizou o produto e que o seu emagrecimento não se deu em virtude daquele suplemento”, acrescentou o comunicado do advogado Luis Cláudio Costa. ” Ela ganhou a audiência e a indenização será toda doada para um lar beneficente de Porto Alegre’, disse.

Em seu perfil do Instagram, a ex-mulher do diretor Amaury Soares, fez um desabafo com seus seguidores. “De uns tempos pra cá, tenho recebido milhares de mensagens e perguntas de muitos de vocês, já que tem gente se aproveitando e usando minha imagem na internet para vender remédios para emagrecer. Não tomei Cactinea e nenhum desses produtos ditos ‘milagrosos’ e sequer conheço eles”, afirmou a artista.

(Purepeople)