Geral

Papa está lúcido, mas sua condição é grave, diz Vaticano

O Vaticano disse nesta sexta-feira que o quadro de saúde do papa João Paulo 2º, 84, piorou muito nas últimas horas e que seu quadro clínico é instável, embora o sumo pontífice continue lúcido e consciente.

Apesar da gravidade de sua condição, o papa optou por permanecer no Vaticano, onde uma equipe de cinco médicos e enfermeiros o acompanha.

De acordo com o comunicado, apresentado pelo porta-voz do Vaticano, Joaquin Navarro-Valls, o papa participou de uma missa realizada na manhã desta sexta-feira e recebeu colaboradores próximos, como os cardeais Angelo Sodano, Camillo Ruini, Joseph Ratzinger e Edmund Szoka, além dos arcebispos Leonardo Sandri e Giovanni Lajolo. O papa teria pedido a um de seus colaboradores para que lesse as quatorze estações da via-crúcis.

De acordo com o comunicado do Vaticano, o papa fez o sinal da cruz, durante as orações feitas na manhã desta sexta-feira.

“O papa está lúcido, consciente e sereno”, disse Navarro-Valls, acrescentando que a piora do papa durante esta madrugada foi marcada pela instabilidade da pressão sangüínea do sumo pontífice.

Após enfrentar duas internações no hospital Gemelli, em Roma, em fevereiro, a condição de saúde do papa piorou nesta quinta-feira, quando médicos detectaram uma infecção urinária que causou febre alta no sumo pontífice. Apesar de ter reagido bem aos antibióticos, segundo o Vaticano, o papa acabou sofrendo uma parada cardíaca, e sua infecção tornou-se generalizada, agravando ainda mais seu quadro de saúde.

Mesmo sob perspectivas tão instáveis a respeito da saúde do sumo pontífice, o Vaticano negou nesta sexta-feira rumores divulgados pela imprensa italiana que diziam que o papa estava em coma. Ao negar a informação, que chamou de “um jogo”, Navarro-Valls levou um pouco de alívio a milhares de fiéis que permanecem em frente ao Vaticano em busca de notícias sobre a saúde de João Paulo 2º.

As pessoas passaram a se reunir nesta quinta-feira, quando as notícias sobre a saúde do papa começaram a aparecer. Autorizados a se aproximar da praça São Pedro pela polícia, alguns dos peregrinos se ajoelhavam, enquanto outros se preparavam para a vigília noturna enrolando-se em cobertores.

A polícia de Roma estima que centenas de milhares de peregrinos devam chegar à cidade nos próximos dias. “Estamos cercando a área ao redor do Vaticano e a polícia estará presente nos aeroportos e nas estações de trem para ajudar os peregrinos a se moverem pela cidade”, disse hoje o prefeito de Roma, Achille Serra