Geral

Nova Mutum: justiça manda a júri popular e mantém preso jovem acusado de matar adolescente

A juíza da Terceira Vara de Nova Mutum, Ana Helena Alves Porcel, marcou para o dia 13 de dezembro o julgamneto do jovem de 18 anos acusado de envolvimento na morte de um adolescente de 17 anos, em março do ano passado. O réu irá a júri popular por homicídio qualificado, supostamente cometido por motivo torpe e mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, e corrupção de menor.

O adolescente foi morto por volta das 21h do dia 19 de março, no cruzamento entre as ruas Hortências e Seringueiras. Segundo a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o réu teria procurado o outro suspeito, menor de idade, e pedido emprestado uma arma para que matassem a vítima. O crime seria motivado por uma suposta dívida de drogas.

A dupla teria encontrado o adolescente e questionado sobre a dívida. Segundo o MPE, o réu teria surpreendido o menor com três disparos de arma de fogo no tórax e na cabeça. Em seguida, os dois acusados teriam escondido a arma perto do “lagoão” de Nova Mutum e retornado no dia seguinte para buscar. O revólver teria sido guardado na casa do menor.

O rapaz de 18 anos acabou preso no dia 21 de março. No mesmo dia, teve decretada prisão preventiva e continua na cadeia pública de Nova Mutum. A defesa, em alegações finais, alegou que o réu é inocente, uma vez que o adolescente teria assumido a autoria do homicídio. Ainda recorreu ao Tribunal de Justiça, no entanto, a determinação para que o suspeito seja levado a julgamento foi mantida.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: arquivo/assessoria)