Geral

Nortão: DNIT inspeciona trecho da BR-163 danificado pelas fortes chuvas e tráfego segue interditado

Um engenheiro do DNIT – Departamento Nacional de Infraestrutura – inspecionou, há pouco, o trecho da BR-163 em Itaúba (90 km de Sinop) onde parte do asfalto caiu, ontem à noite, além do barranco, devido as fortes chuvas, e interrompeu totalmente o tráfego. Havia possibilidade de meia pista ser liberada, esta manhã, para veículos e caminhonetes, mas foi descartada porque meia pista pode desabar a qualquer momento a o tráfego segue totalmente interditado.  Ainda não foi feita estimativa de quantos dias deve durar o trabalho de reconstrução do bueiro que não suportou o grande volume de águas e acabou se rompendo. Continua chovendo o que impede as equipes de iniciarem o trabalho emergencial no trecho. O DNIT confirmou que não existe possibilidade de ser feito desvio no local.

Ontem à noite, alguns veículos usaram uma estrada vicinal, em Itaúba, como desvio para seguir viagem. Mas, caminhoneiros também foram e atolaram. Agora ninguém passa, informou há pouco, uma fonte de Só Notícias. Com isso, a única 'saída' para seguir viagem é pela rodovia estadual via Marcelândia até município de Claudia chegando na 163 em Sinop. Dependendo a cidade de destino, serão em média 70 km a mais.

Conforme Só Notícias informou em primeira mão, o barranco caiu, bem como uma parte do asfalto e, outra, afundou. Inicialmente, veículos e caminhões passaram em meia pista. Mas, após inspeção da Polícia Rodoviária Federal, houve a interdição total, por volta das 20:30, para evitar acidentes. A PRF continua no local.

A rodovia tem grande tráfego de carretas, caminhões e veículos. Houve longas filas nas duas pistas. Dezenas de veículos acabaram retornando para Sinop ou Itaúba evitando passar à noite nas filas. Alguns caminhoneiros e carreteiros que foram informados do bloqueio pararam em postos de combustíveis.

O empresário Clovis Murari, que tem um restaurante, às margens da rodovia, explicou que a área de estacionamento está lotada com caminhões e veículos. "Esse problema também causa impacto na nossa empresa. Vamos ter queda de 50% nas vendas devido pelo fato de muita gente não estar passando por aqui para ir a Sinop, por exemplo, que é polo na área de saúde. Esse problema também vai refletir nos postos de combustíveis, hotéis e demais", expôs, ao Só Notícias.

Empresas de ônibus também estão fazendo ajustes em suas rotas.

Em instantes mais detalhes

(Atualizada às 09:58h)