Geral

Mais de 200 mil pessoas ficam sem transporte em Cuiabá devido a protesto

Mais de 250 ônibus de todas as linhas de Cuiabá estão paralisados neste momento nas principais ruas e avenidas que circundam o Terminal de Integração da Praça Bispo Dom José, no centro de Cuiabá. Mais de 200 mil usuários do transporte coletivo estão prejudicados, principalmente no horário de pico. Milhares de pessoas estão a pé e o tumulto já é grande na área central da Capital.

A Rua General Vale continua fechada. Só está passando mesmo as ambulâncias, ,mesmo assim com muita dificuldade, fazendo malabarismo. Motoristas de carros, particulares, por exemplo, estão tentandoi furar o bloqueio, mas também se sentem prejudicados e a demora de um local para o outra está em mais de uma hora.

O pior, no entanto, é que o protesto dos motoristas do transporte urbano não tem hora para acabar. O grande perigo, inclusive de mais tumulto vai começar daqui a pouco, quando estudantes e funcionários que trabalham no centro estiverem saindo de seus empregos.

ENTENDA O CASO – Revoltados com a violência dos constantes assaltos e agora com um companheiro baleado e entre a vida e a morte, todos os motoristas de Cuiabá estão paralisados em protesto. Os ônibus não estão apenas parados, eles fecharam algumas ruas como a General Valle, deixando o Pronto-Socorro Municipal de Cuiabá (PSMC), sem acesso, e também bloquearam a Avenida Tenente-coronel Duarte (antiga Prainha), totalmente paralisada desde às 16 horas de hoje.

Tudo em protesto pelo assalto contra o motorista Luiz Fonseca, de 39 anos, roubado e baleado no ponto final de coletivos do bairro Renascer por volta das 22 horas de domingo (10). O profissional está desenganado – morte cerebral, respirando apenas através de aparelhos -, e sem esperança de sobreviver.

Fonseca foi vítima de uma tentativa de assalto. O motorista parou o ônibus, e ao descer foi abordado por dois ladrões. Um deles foi logo atirando. Tércio, que não reagiu foi operado e continua hospitalizado em estado grave.
O secretário Emanoel Pinheiro, da Secretaria de Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), disse agora a pouco à reportagem do site 24 Horas News que os ônibus vão voltar a circular normalmente daqui a pouco.

Pinheiro disse que a manifestação foi pacífica, só não concordou com o horário da manifestação que deixou milhares de pessoas a pé e o trânsito em estado caótico.

“Não tivemos outra alternativa. Que nos desculpe a população de Cuiabá, mas a violência está um absurdo. Um companheiro nosso está morrendo e outros correm o mesmo risco”, disse um motorista que pediu para não ser identificado.

“Vamos andar quilômetros a pé, mas não tem nada não. Para chamar a atenção das autoridades vale tudo, até porque, nós também sofremos na pele está mesma violência, e inclusive também corremos o mesmo risco de levar um tiro durante um assalto”, disse Lisboa, morador do bairro Santa Isabel