Geral

Justiça manda dois a julgamento por homicídio de assentado no Nortão

A Justiça decidiu mandar dois homens a júri popular pelo homicídio de Edmundo Wilheim, 58 anos, ocorrido em janeiro de 2014, no município de União do Sul (168 quilômetros de Sinop). A vítima foi morta a facadas, no assentamento Gleba Norte-Sul, localizado nas proximidades da MT-223.

A irmã de um dos réus contou, em depoimento, que viu quando o irmão chegou em casa chorando e confessou que havia matado um homem. Segundo ela, o suspeito disse que “tinha usado muita droga e que havia feito uma besteira”. A mulher detalhou ainda que o irmão sempre foi usuário de drogas e que o crime teria sido motivado por uma dívida de entorpecentes.

Em depoimento à Justiça, um dos réus negou envolvimento no assassinato, enquanto que o outro permaneceu em silêncio durante interrogatório. Para a juíza Marilia Augusto de Oliveira Plaza, diante dos indícios de autoria, o caso deve ser analisado pelo tribunal do júri.

“Ao que parece, os fatos se deram em razão de cobrança de dívida e mediante dissimulação, pois, atraíram a vítima para frente de sua residência e questionaram se conheciam um primo que residia próximo ao local a fim de que se aproximassem para lhe desferir um golpe de arma branca”, comentou.

“Assim, demonstrada a materialidade delitiva e havendo suficientes indícios de autoria, deverão ser os acusados levados a julgamento pelo Tribunal Popular, cumprindo ao Conselho de Sentença, em sua soberania, decidir sobre a sorte dos réus”, concluiu a magistrada.

Conforme a decisão, a dupla será submetida a júri popular por homicídio qualificado, cometido por motivo fútil e mediante dissimulação. Ainda cabe recurso.

Só Notícias/Herbert de Souza