Geral

Júri popular de acusado de matar ex-diretor de TV no Nortão é remarcado para novembro

O júri popular do principal suspeito de assassinar, com um golpe de canivete, Olímpio da Rosa, 50 anos, foi remarcado para o dia 4 de novembro. O comunicador foi morto em novembro de 2015, durante uma festa, em um estabelecimento localizado no Setor Industrial de Marcelândia (200 quilômetros de Sinop).

Inicialmente, o julgamento estava previsto para o dia 16 de abril. No entanto, em razão da pandemia de coronavírus, a sessão acabou adiada para 13 de outubro. Naquela data, entretanto, foi novamente adiado, uma vez que a magistrada que conduz a ação penal apresentou sintomas da covid.

O suspeito será levado a júri por homicídio qualificado, cometido por motivo fútil. O acusado de matar a vítima tem 33 anos e foi preso, em abril do ano passado, em uma comunidade rural, no município de Novo Progresso, no Pará.

Desde o adiamento do julgamento, a defesa já teve negados pedidos de soltura do acusado. O réu está preso há mais de um ano, no presídio Osvaldo Florentino Leite, o “Ferrugem”, em Sinop.

Conforme Só Notícias já informou, testemunhas divergiram nos depoimentos sobre as circunstâncias da morte. As de defesa alegaram que o comunicador estava apenas conversando com o irmão do suspeito. Segundo essa versão, o acusado teria se aproximado e atingido a vítima no tórax. Já as de acusação garantem que Olímpio deu um tapa no rosto do réu e ambos entraram em luta corporal, quando houve o esfaqueamento.

Olímpio foi locutor de rádio comunitária e chegou apresentar um programa policial em uma emissora de TV, a qual arrendou e foi diretor. Depois de deixar a comunicação trabalhou como eletricista.

Só Notícias/Herbert de Souza (foto: assessoria/arquivo)