Geral

Júri de fazendeiro acusado de ser mandante de homicídio começa daqui a pouco

Chegou a ‘hora da justiça’. O crime foi há 4 anos na pequena cidade de Vera ( 80 km de Sinop). Com um tiro, a garotinha Keila Alba, 12 anos, foi morta, dentro de sua casa, pelo pistoleiro Charles Caetano Silva. O alvo era o pai dela, o ex-vereador Augusto Alba, que acabou escapando do atentado. A polícia investigou e acabou prendendo Charles, o engenheiro Tarcisio Thielsen e o fazendeiro Vilmar Taffarel (Nenê).
As investigações apontaram que Vilmar seria o mandante do crime. O suposto motivo ?: Augusto vinha fazendo sistematica oposição política, na câmara, a então prefeita Izani Konerat, que é irmã de Vilmar. Alba havia sido aliado de Izani e rompeu politicamente com ela passando a fazer denúncias e criticas.

Preso em uma fazenda em Vera, pouco tempo depois do crime, Vilmar Taffarel foi recambiado para Sinop, onde negou, com veemência que tivesse sido o mandante do crime. Tarcisio foi preso sob acusação de ter intermediado o acerto com o pistoleiro Charles, que disse ter sido contratado por R$ 25 mil.

O caso, além de forte repercussão em Mato Grosso, também foi destaque na mídia nacional e, nos últimos dias, ganhou uma atenção especial pelo fato do ‘caso Keila Alba’ marcar o retorno à advocacia criminal do ex-deputado Roberto Jefferson, que denunciou o esquema do mensalão -envolvendo o governo Lula e deputados da base aliada- , confessou ter cometido crime eleitoral em repasses de recursos do PT para seu partido, e acabou tendo mandato cassado.

Jefferson atuará como assistende de acusadação da promotora Clarissa de Lima. Aceitou trabalhar de graça ao conversar com o ex-vereador Augusto Alba, por intermédio do deputado Ricarte de Freitas.
Roberto Jefferson disse, em entrevista ao Só Notícias, não ter dúvidas que “Nenê é o mandante do crime e que ele não agiu sozinho. Este caso é uma crônica de uma morte anunciada”, afirmou.

O advogado de Vilmar, Cláudio Alves Pereira, disse ontem que Nenê “está tranquilo. A verdade vai aparecer na hora certa”, declarou. “Só lamento que as atenções estejam mais voltadas para o assistente de acusação do que para o julgamento em si”, afirmou.

O júri está marcado para às 08:00hs, na câmara. Será presidido pelo juiz Wendel Kariedi. Populares poderão acompanhar por um telão, em um ginásio de esportes.

O crime e a acusação
Valdir Taffarel é acusado de ter encomendado a morte de Augusto Alba a Tarcísio Ribas Thiesen, que por sua vez, teria contratado o pistoleiro Charles Silva(assassino confesso). O crime aconteceu no dia 21 de novembro de 2001. Charles chegou na casa do vereador e Keila foi atender, na varanda. Ele pediu um copo de água com a intenção de ganhar tempo e saber se o ex-vereador estava em casa.

Quando viu Alba, ele invadiu a residência, atirando. Augusto correu para um quarto e não foi atingido pelos disparos. Mas um tiro acertou Keila, que morreu pouco depois, no hospital. Charles foi preso alguns meses depois e confessou o crime. Disse que iria receber R$ 25 mil pelo serviço.

Os outros envolvidos no crime também foram presos. Taffarel ficou preso algum tempo, foi solto e teve novamente sua prisão decretada, mas acabou ficando foragido por um certo período. No ano passado, se entregou e deixa a cadeia hoje para sentar no banco dos réus.

Só Notícias estará acompanhando o julgamento e você acompanhará aqui as principais informações