Geral

Itaúba vai sediar Seminário de Desenvolvimento do Turismo Regional

O turismo indígena, também denominado etnoturismo, entra na pauta de prioridades de municípios do Médio-Norte mato-grossense. O tema será abordado no 2º Seminário de Desenvolvimento do Turismo Regional que o Governo do Estado promove amanhã, 12, em Tangará da Serra.

O primeiro seminário de desenvolvimento regional foi promovido em Diamantino abrangendo 11 municípios. Outras edições do evento já estão programadas também para Itaúba, Colíder, Campo Verde, Pontes e Lacerda e Poxoréo.

Também participam do evento estudantes e representantes do setor público e privado dos municípios de Campo Novo do Parecis, Barra do Bugres, Nova Olímpia, Denise e Sapezal. Além da abrigar a 1a Universidade Indígena do país, em Barra do Bugres, a região tem, em Campo Novo, a aldeia do Sacre e em Tangará, a aldeia dos Pareci. Na avaliação da secretária de Desenvolvimento do Turismo de Mato Grosso, Yêda Assis, a implantação do Programa de Regionalização em Mato Grosso, já no primeiro ano, está trazendo resultados muito positivos. “A demanda provocada hoje por todos os municípios que querem se inserir no processo de regionalização é a maior prova disto”, disse.

A região dispõe ainda de inúmeros atrativos naturais que possibilitam a observação de pássaros. O Salto das Nuvens, em Tangará, o balneário Rio Verde, em Campo Novo, e imensos rios favorecem à prática do mergulho e esportes náuticos em geral, além da pesca esportiva, vocação mais específica de Sapezal.

Serão debatidos ainda no seminário, além do Programa de Regionalização, políticas públicas para o turismo, controle de qualidade dos serviços turísticos, incentivos fiscais e apoio ao empreendedorismo e as RPPN´s e a prática do turismo em áreas de preservação ambiental.

Lançado pelo Governo Federal, o programa de Regionalização conclui até setembro a primeira etapa de implantação no Estado, que vai resultar na criação de um Plano de Desenvolvimento do Turismo Regional para os quatro pólos mato-grossenses – Pantanal, Cerrado, Amazônia e Araguaia. A formatação de roteiros integrados envolvendo os 31 municípios atendidos nessa fase em Mato Grosso, é outro produto anunciado pelo Governo. “Nossa meta para a segunda etapa é atender as 72 cidades que integram a Associação de Municípios com Potencial Turístico de Mato Grosso (AMPTUR)”, concluiu Yêda.