Geral

Irmãos são condenados em júri popular por morte de mulher que foi jogada em rio no Mato Grosso

O juiz Wagner Plaza Machado Junior, presidente do tribunal do júri da comarca de Rondonópolis (212km a sul de Cuiabá), condenou, hoje, os irmãos Valdeci Vieira da Silva e Valdomiro Vieira da Silva pelo assassinato de Rosineide Maria de Souza. Valdeci, ex-companheiro da vítima e que teve maior participação no crime, foi condenado a 24 anos de reclusão. Já Valdomiro foi condenado a 12 anos e dois meses. Ambos já se encontram presos na penitenciária local.

O crime foi em janeiro de 2018. Valdeci, agindo de maneira consciente e voluntária, por motivo torpe, com emprego de asfixia, mediante recurso que dificultou a defesa da ofendida e contra a mulher por razões das condições do sexo feminino, envolvendo violência doméstica e familiar, matou a ex-mulher Rosineide. Para cometer o crime ele contou com o auxílio do irmão Valdomiro, que efetivamente concorreu para a consumação do crime.

Conforme a denúncia, a vítima e Valdeci mantiveram um relacionamento por cerca de três anos, porém há cerca de um ano e meio da data do crime, cada um morava em sua casa, sem nunca terem se desligado em definitivo. Por conta das agressões físicas, a vítima, no início de 2018, resolveu terminar de vez o relacionamento.

Porém, o acusado, por não aceitar o término do relacionamento e após uma discussão pela divisão do patrimônio, acabou pegando no pescoço da vítima, asfixiando-a até a perda de consciência. Em seguida, Valdeci pegou um porrete e desferiu ao menos dois golpes na cabeça dela. Ele percebeu que ela não tinha morrido, pois estava apenas desmaiada. Na sequência, ele foi até a casa do irmão, pedindo a ele que o auxiliasse no sumiço do “corpo”. Valdomiro atendeu e os dois puseram a vítima no porta-malas do carro, pararam na ponte do Rio Vermelho e a jogaram o corpo no rio. De acordo com o laudo de necropsia, uma das causas da morte foi asfixia por afogamento.

Segundo o juiz Wagner Plaza, “restou certo que a vítima morreu asfixiada, por afogamento. Neste especial, temos que ela foi lançada no Rio Vermelho quando estava inconsciente, com traumatismo craniano, com massa encefálica exposta, e ainda amarrada no interior de sacos plásticos. É indiscutível a agonia pelo qual passou, tendo aspirado, em momento de desespero, água e areia”, observou o magistrado. Ele consideroi ainda que os elementos de conduta social e personalidade do acusado destoam do almejado pela sociedade, visto que Valdeci é reconhecidamente violento, tendo tendência ao cometimento de crimes contra as mulheres, pois já responde por outro feminicídio.

A informação é da assessoria do Tribunal de Justiça e a defesa pode recorrer da decisão.

Só Notícias