Geral

Homem preso no Pará não é o empresário acusado de duplo homicídio em Sorriso

O homem preso em Belém (PA) não é o empresário de Sorriso que está foragido, acusado de duplo homicídio, Ivanor Lunardelli. A juiza criminal de Sorriso, Débora Paim Caldas, confirmou ao Só Notícias que a Justiça já realizou o comparativo de impressão digital e descartou a possibilidade de ser a mesma pessoa.

“É um homem muito parecido, mas não é o Lunardelli”, disse a juíza. Acusado de assassinar com um tiro e uma facada a doméstica Sandra Fátima de Souza, de 22 anos, e por asfixia a filha dela Vanessa Caroline de Souza, de apenas 2 anos e meio, o empresário Ivanor Lunardelli está foragido desde o ano passado, quando não compareceu ao júri popular e teve a prisão decretada pela juíza. O julgamento dele chegou a ser adiado 5 vezes.

Como Só Notícias já informou, os homicídios ocorreram no dia 24 de setembro de 1995. Os corpos só foram encontrados nove dias depois. Estavam queimados. Lunardelli teria tido um relacionamento com Sandra. Ele se passava por solteiro, mas era casado e tinha cinco filhos, três fora do casamento. Sandra engravidou, mas ele não assumiu a paternidade e ela teve a criança sozinha.

Ela acabou entrando com uma ação na Justiça contra Ivanor, de investigação de paternidade, e o procurou para cobrar a pensão da filha. Ele pagou a primeira vez, mas a ameaçou de morte. No mês seguinte, ela voltou a cobrar o dinheiro. Revoltado, Ivanor teria assassinado ela e a própria filha para não ter de pagar a pensão.

Os crimes tiveram requintes de crueldade. As duas foram encontradas amarradas e com os corpos parcialmente queimados. O caso foi registrado como duplo homicídio triplamente qualificado.