Geral

Frota do Estado será atendida em mais nove municípios-pólo no interior

Os serviços de manutenção dos veículos da frota do Governo do Estado serão descentralizados da Capital para mais nove municípios-pólo no interior. Atualmente, toda manutenção é realizada em Cuiabá, na Oficina Única do Estado.

Implantado inicialmente em Cuiabá há mais de um ano, o modelo de Oficina Única faz parte de uma nova visão no gerenciamento da frota estadual. Para a descentralização, a Secretaria de Estado de Administração realizou no mês de junho vários pregões, tipo registro de preço, para credenciar oficinas mecânicas.

Segundo o secretário-adjunto de Administração, Augustinho Moro, a Secretaria de Administração, que tem sob sua responsabilidade a preservação do patrimônio do Estado, estende para o interior o modelo da Oficina Única para agilizar e facilitar a manutenção e o controle da frota de veículos.

A descentralização também fomentará os comércios locais. “Haverá um aumento da demanda por novos profissionais nas oficinas mecânicas das regiões contempladas, o que representa um incentivo na geração de empregos”, afirma.

O gestor Edson Monfort de Albuquerque, da Superintendência de Aquisições Governamentais, explica que a descentralização contribuirá, inclusive, para o aumento de arrecadação municipal.

Na região de Alta Floresta, por exemplo, o Governo do Estado mantém uma frota de 70 automóveis. “Imagine esses veículos vindo à capital para a manutenção. Só o deslocamento constante já diminui sua vida útil. Quanto ao imposto – Imposto Sobre Serviço de Qualquer Natureza (ISSQN) este deve ficar no município onde é realizada a manutenção, isso significa que o valor será revertido para a prefeitura local”, salienta o gestor governamental.

O procedimento adotado para o credenciamento das oficinas foi a realização de pregões, tipo registro de preços, nos municípios de Tangará da Serra, Cáceres, Alta Floresta, Sinop, Rondonópolis, Barra do Garça, Água Boa, Juína e Vila Rica.

As oficinas mecânicas se cadastraram para participar da licitação pública e as vencedoras prestarão o serviço para o Estado pelo menor preço registrado na data da sessão pública de pregão até a data da vigência do contrato, e de acordo com a demanda.