Geral

Falta de estrutura da Sema em Sinop dificulta fiscalização do Teles Pires

O gerente regional da Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Jackson Monteiro de Medeiros, disse que o trabalho de fiscalização para coibir a pesca predatória no rio Teles Pires está sendo reforçado, mas justifica que a falta de estrutura do órgão dificulta o trabalho dos agentes. Amanhã mesmo ele e alguns ficais viajam a um município da região, para averiguar uma denúncia de pesca predatória. A pesca predatória foi discutida na última sessão da câmara de Sinop e alguns vereadores criticaram a falta de fiscalização dos órgãos competentes.

Segundo Jackson, o número de veículos do escritório regional de Sinop, que atende a 15 municípios da região, não é suficiente para atender toda a demanda de trabalho. “Contamos com apenas 3 veículos, sendo que apenas 2 têm condições de encarar as estradas. O terceiro é apenas para andar dentro da cidade. Hoje mesmo se recebermos uma denúncia não teríamos como averiguar, pois as duas camionetes já estão em uso”, conta.

Segundo ele, seriam necessários pelo menos mais dois veículos, no entanto não existe nem previsão de quando o Estado poderá disponibilizar um novo. “Eles trocaram uma de nossas camionetes há pouco tempo, acho que ainda vai demorar muito para mandarem outra”, explica.