Geral

Dois mortos em acidente em Alta Floresta

Dois jovens morreram na noite de sábado num dos piores acidentes registrados pelas autoridades policiais no município nos últimos tempos. Adriano Santana e Alceu Ribeiro Maia estavam a bordo de um veículo Gol que foi arrastado por vários metros por um caminhão boiadeiro antes de se chocar contra a parede de um depósito de cereais localizado às margens da MT 208. O fato ocorreu por volta das 21 horas.

A remoção dos dois corpos exigiu paciência e muita perícia por partes das equipes do Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. O gol ficou debaixo do caminhão boiadeiro,. Carregado com quase 10 toneladas. O veiculo estava coma lataria toda retorcida. Foi necessário o apoio de duas maquinas pesadas, de madeireiras próximas, para retirar o caminhão em meio aos escombros do depósito, que teve sua fachada toda destruída.

“Um fator que nos preocupa pela gravidade das circunstâncias do ocorrido”, disse o sub-comandante do Corpo de Bombeiros, capitão Adelir Martini, informando que a companhia estava pronta e equipada para o atendimento.

Pelas frenagens registrada no asfalto da 208, acredita-se que Adriano e Alceu pretendiam entrar na rodovia, provavelmente saindo da estrada central. Como o caminhão seguia no sentido Paranaíta/Alta Floresta e estava próximo ao redutor de velocidade, o condutor do gol provavelmente imaginava que daria tempo para fazer o contorno e trocar de rodovia.

Após o acidente, o motorista do caminhão deixou o local sem prestar qualquer apoio às vítimas. Até o final da tarde de ontem o motorista ainda não havia sido identificado.

“Não dá pra prever velocidade, mas pela distância que foi percorrida, dá pra dizer que estava numa velocidade bastante elevado”, disse o sargento Lacerda, lembrando que o caminhão estava com 10 mil quilos de carga viva.

Segundo o sargento, não houve a verificação de presença de bebida alcoólica no interior dos dois veículos. Sobre a atitude do motorista do caminhão, o graduado PM disse que a omissão agrava sua responsabilidade. A identificação do motorista será feita através do caminhão e da carga que levava consigo.

PERIGO- O empresário José Pupim, proprietário do prédio atingido pelo caminhão desgovernado, disse que essa era uma tragédia anunciada. Pupim conta que fora informado do acidente, mas não imaginava que fosse com tal gravidade.

“A gente se preocupa por que esses quebras-molas que estão aí não estão resolvendo o problema. Principalmente os caminhões de cargas não respeitam. A gente precisa que uma hora Isa acontecer alguma coisa séria”, lamentou o empresário, que pediu que houvesse uma atenção melhor no trecho com sinalização que pudesse orientar melhor os motoristas. “Vamos procurar o dono do caminhão para tentar uma certo e recuperar o que estragou”, lamentou.