Geral

Descoberto focos de Sigatoka Negra em Sorriso e Nova Maringá

Dois casos de sigatoka negra, a maior ameaça aos bananais brasileiros, foram confirmados pela regional do Indea (Instituto Nacional de Defesa Agropecuária) de Lucas do Rio Verde. As propriedades onde foram detectadas a doença ficam no distrito de Boa Esperança (150 km de Sorriso) e no município de Nova Maringá.

Foram coletadas amostras nas propriedades suspeitas e enviadas para um laboratório em Cuiabá. Segundo o engenheiro agrônomo do Indea, Waldemir Batista da Silva, não são propriedades com grandes plantações. O Indea vai pedir, na semana que vem, a destruição dos bananais infectados e pedir a interdição das propriedades.

Causada pelo fungo Micosphaerella fijiensis, a sigatoka negra é a mais grave e temida doença em bananas, pois ataca praticamente todas as variedades e já dizimou pomares na América Central e no Norte da América do Sul. Focos da doença no Brasil são registrados desde 1998, mas apenas em estados da região Norte e no Mato Grosso.

Os sintomas da sigatoka negra variam em função do estádio de desenvolvimento da planta, da suscetibilidade da cultivar e da severidade do ataque. Os cultivares mais consumidos, como nanica, nanicão e maçã, além da terra, são altamente suscetíveis à doença, podendo ocorrer perdas na produção de até 100%, dependendo das condições climáticas e aliadas ao manejo da cultura.