Geral

CEF ameaça trabalhadores e greve avança em Mato Grosso

A diretoria da Caixa Econômica Federal (CEF) ameaçou ontem levar a negociação com os bancários para o Tribunal Superior do Trabalho (TRT), caso os trabalhadores não aceitem a nova proposta que se limita ao cumprimento dos itens econômicos já acordados com a Fenaban e não avança nas reivindicações específicas. Os bancários propuseram uma nova rodada de negociação para segunda-feira (08).

O principal ponto de discussão, o aumento na Participação dos Lucros e Resultados (PLR) da empresa não sofreu reajuste: para diferenciar a proposta, a Caixa ofereceu um aumento do valor da antecipação da primeira parcela da PLR.

“Essa ameaça somente fortalece nosso movimento, que cresce a cada dia. A posição irredutível adotada pela diretoria é semelhante à adotada pelas diretorias do governo FHC”, criticou o presidente do Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Mato Grosso (Seeb-MT), Arilson Silva.

Em Cuiabá, todas as agências estão paradas, sendo que os caixas de auto-atendimento só funcionam para saques. Os departamentos internos da Caixa também estão parados. Hoje, novas mobilizações devem conquistar a adesão dos departamentos que ainda não aderiram á greve. Os bancários realizam todos os dias, sempre às 16h, avaliação da paralisação, no auditório do Sindicato.

Fortalecimento – Hoje (05) pela manhã, 75% das agências da CEF do país amanheceram paradas. Em Mato Grosso, as agências de Sorriso, Alta Floresta, Cáceres e Tangará da Serra estão paralisadas. Os municípios de Barra do Bugres, Diamantino e Sinop devem parar a partir de segunda-feira