Geral

Catedral de Sinop terá relíquia do Vaticano e 15 mil devem ir à inauguração

A catedral de Sinop, Sagrado Coração de Jesus, foi fechada no último domingo e será reaberta somente no dia 09 de setembro, quando acontece a inauguração oficial. Faltando apenas 18 dias para o evento, cerca de 15 mil fiéis das 32 paróquias do Sagrado Coração de Jesus estão sendo esperadas, de acordo com o bispo Dom Gentil Delazari.

Ele apresentou hoje à imprensa a programação e algumas relíquias que serão colocadas no altar central, entre elas uma pedra retirada do túmulo de São Pedro, trazida de Roma em 2003 (clique na foto para ampliá-la). “Essa pedra foi abençoada pelo Papa João Paulo II e representa um sinal da comunhão da Igreja Católica com o papa. Ela será colocada no centro de uma estrela de 8 pontas, que representa o início da criação”, explicou o bispo.

A programação começará às 07:00h na praça Plínio Callegaro para acolher as comissões paroquiais que virão de diversos municípios. Às 08:30h está prevista a chegada do núncio apostólico Dom Lorenzo Baldisseri, embaixador do Brasil no Vaticano. “Sairemos em procissão para a catedral, onde serão abertas as portas e dado início às celebrações litúrgicas. Pedimos à população de Sinop para que dêem prefêrencia aos visitantes para entrar na catedral e, mais tarde, haverá oportunidade para todos conhecerem”, declarou o bispo.

Além do núncio apóstólico, estarão presentes o arcebispo de Cuiabá, Dom Milton Santos e os 10 bispos da regional. “Está confirmada ainda a presença do bispo de Criciúma (SC) e de um casal alemão para este evento”, salientou Dom Gentil.

A catedral tem capacidade para aproximadamente 2,5 mil pessoas. A construção iniciou em 2000 e está com 70% do projeto original concluído. A diocese optou por fazer a inauguração neste ano para a comemoração do jubileu de 25 anos de criação da Diocese de Sinop. O prédio tem 4,8m² mil e de acordo com o bispo, já recebeu um investimento na ordem de R$3 milhões. Para sua completa conclusão, ele acredita que serão necessários cerca de mais R$3 milhões. O padre João Salarine é um dos idealizadores do projeto da catedral e, juntamente com a as diretorias anteriores e a atual, organizou dezenas de promoções e campanhas para arrecadar fundos e construir a primeira catedral da região Norte de Mato Grosso.