Geral

BR-163 volta a ser bloqueada em Sinop e Peixoto de Azevedo

Os trabalhadores rurais e sem-terra de Sinop, Peixoto de Azevedo, Matupá, Novo Mundo, Juara e Tabaporã, continuam manifestando na BR-163 em Sinop e Peixoto de Azevedo. Desde terça-feira eles estão protestando para que o Incra tome medidas em relação aos projetos de assentamentos para as famílias.

Após o Incra ter confirmado que a Ouvidoria Nacional viria pessoalmente negociar com os trabalhadores, ele liberaram o tráfego em ambas as cidades, mas voltaram a bloquear hoje de manhã, pois ninguém da Ouvidoria chegou até às 10:00h, como foi acordado. “O Incra nos pediu um avião para transportar o pessoal de Cuiabá até aqui, mas desde o meio dia que o avião está no aeroporto da capital e ninguém apareceu. Agora o pessoal está ainda mais revoltado e só sai quando alguém chegar aqui”, disse, ao Só Notícias, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Peixoto de Azevedo, Antenor Konrat (Juca).

Só Notícias apurou que em Peixoto de Azevedo cerca de mil trabalhadores estão acampados às margens da rodovia e em Sinop são aproximadamente 800. As filas de veículos que aguardam o desbloqueio são grandes, sendo que em Sinop, chega a 5km, sentido Itaúba-Sinop.

As reivindicações dos trabalhadores são para que o Incra faça a homologação de assentamento de famílias nos assentamentos Mandaguari e Gleba Mercedes 1 e 2; Legalize as famílias já assentadas e defina áreas para assentar cerca de 700 famílias cadastradas em Sinop, Tabaporã e Juara. Cobram, ainda, a prática dos PDAs (Plano de Desenvolvimento de Assentamentos), topografia, fomento, alimentação, habitação, Assistência Técnica Social e Ambiental à Reforma Agrária (ATES), abertura e recuperação de estradas nos PDAs, implantação de escolas, postos de Saúde, poços artesianos e liberação de mil cestas básicas para os trabalhadores da região.