Geral

Beija-Flor é a grande campeã do carnaval carioca

A Beija-Flor de Nilópolis é a grande campeã do grupo especial do carnaval carioca. Em uma disputa muito equilibrada, encerrada há pouco, a Beija-Flor chega ao décimo quinto título com apenas um décido de vantagem sobre a segunda colocada, a Paraíso do Tuiuti. Salgueiro ficou em terceiro e Portela em quarto.

A escola apresentou o enredo "Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu”, baseado no livro de terror Frankenstein, de autoria de Mary Shelley, que completou 200 anos. Na obra, um cientista dá vida a uma criatura construída com partes de pessoas mortas, tornando-se uma figura feia. No desfile, a figura foi usada para críticas a problemas sociais como corrupção e desigualdades.

A Beija Flor fez duras críticas aos políticos, à corrupção, desigualdade e intolerância: "ganância veste terno e gravata/onde a esperança sucumbiu, vejo a liberdade aprisionada/teu livro eu não sei ler, Brasil!/ Mas o samba faz essa dor dentro do peito ir embora/feito um arrastão de alegria e moção o pranto rola/ meu canto é resistência/ no ecoar de um tambor vêm ver brilhar mais um menino que você abandonou", criticou, em seu samba, 'puxado' por Neguinho da Beija-Flor. Em outro trecho, o samba questionou: "Oh Pátria Amada, por onde andarás? Teus filhos já não aguentam mais!"

(Atualizada às 16:23h)