Geral

Atividades com detentos marcam ‘dia da ressocialização’ em Sorriso

A comarca de Sorriso fará, na próxima terça-feira, das 8h às 17h, uma série de atividades na cadeia pública com objetivo de comemorar o “dia da ressocialização”. De acordo com a juíza corregedora do sistema carcerário local, Débora Roberta Pain Caldas, o dia para a realização do evento foi escolhido pelo Conselho da Comunidade e contará com mais de 10 atividades ao longo do dia.

Às 8h, terá início a cerimônia de abertura do evento, com o descerramento da nova denominação da unidade prisional do município, que passará a se chamar “Centro de Ressocialização”, em vez de cadeia pública. Também haverá a inauguração das novas dependências da oficina de artesanato e o lançamento oficial da construção da “Ala Renascer”, que abrigará os reeducandos que participam do projeto ‘Drogas, problema seu, meu, nosso’.

Das 8h30 às 11h, os detentos terão direito a corte de cabelo e palestra sobre noções de higiene pessoal. Eles também receberão kits de higiene. Das 13h30 às 15h, será a vez das reeducandas, que poderão participar de mini-curso de culinária, com a professora Márcia Chiarelli. Das 14h às 15h, uma psicóloga vai palestrar sobre doenças sexualmente transmissíveis (DST) e das 15h às 15h30 haverá palestra sobre dependência química. Os detentos assistirão a um vídeo sobre os malefícios e as conseqüências do alcoolismo.

Durante o evento, os detentos receberão roupas arrecadas na campanha da solidariedade, terão direito a lanche preparado pelas reeducandas na aula de culinária (bolo e cachorro-quente) e assistirão ao espetáculo teatral “O calvário de Cristo”, apresentado pelos internos da clínica ‘Lar de Deus’. O encerramento está previsto para às 17h, com benção do pastor Neto e discurso da juíza Débora Caldas e da presidente do Conselho da Comunidade, Lucinei Baretta.

Em abril foi lançado na cadeia o projeto “drogas, problema seu, meu, nosso”, que tem como objetivo principal a desintoxicação de presos com dependência química, uma das principais causas da criminalidade. Resulta de uma parceria entre o Conselho da Comunidade e a clínica de desintoxicação de dependentes químicos ‘Lar de Deus’, que atende doentes com dependência química em todo Estado, inclusive por meio de convênios firmados com municípios.

Segundo a juíza Débora Caldas, o projeto inaugura uma nova fase na função ressocializadora da pena, voltada para atacar a causa e não somente a conseqüência do delito. “A partir de pesquisa feita na unidade prisional local constatamos que, dos infratores que cometem crimes patrimoniais, 75% têm envolvimento com drogas tanto lícitas (álcool, tabaco), quanto ilícitas (principalmente pasta-base)”, explicou.

Para a presidente do Conselho da Comunidade, Lucinei Baretta, o projeto é único na região. Isso porque leva para dentro dos muros prisionais uma equipe voltada a tratar os usuários de drogas para que esses detentos, após cumprirem suas reprimendas, possam sair livres da dependência química para tentar uma vida digna, sem ter de reincidir para conseguir dinheiro a fim de manter o vício.