Geral

Advogado renuncia e julgamento é adiado pela terceira vez em Sorriso

O advogado Silas Nascimento Filho decidiu desistir do processo de homicídio culposo em que defenderia o fazendeiro Ivanor Lunardelli e o júri popular foi adiado para o dia 13 de outubro. Segundo informações do Cartório Criminal de Sorriso, Silas alega que como existe defensoria pública no município ele não fará a defesa do réu e passou o caso para a defensora pública.

O réu é acusado de matar a esposa Sandra Fátima de Souza e a filha dela Vanessa Caroline de Souza, em 03 de outubro de 1995, a cerca de 6km do cento da cidade de Sorriso. Primeiro, ele teria disparado várias vezes e desferido diversos golpes de faca nas vítimas e posteriormente teria queimado seus corpos.

O Ministério Público denunciou Ivanor por homicídio culposo. Essa é a terceira vez que seu julgamento é adiado. Anterior a este, o último pedido de adiamento foi feito no dia 30 de agosto e negado pela juíza Débora Pain Caldas, que presidirá a sessão de júri no dia 13 de outubro. O júri popular será no plenário da Câmara de Sorriso.

Conforme pauta forense, o próximo júri está marcado para o dia 16. Joani Domingues da Costa é acusado de assassinar, à tiros, Francisco Diniz Coutinho Júnior, em 26 de novembro de 2002, em uma residência na rua Bené, no bairro Benjamim Raiser, em Sorriso.