Esportes

Vasco vence Ponte Preta e garante vaga na Libertadores

O Vasco da Gama está classificado para a primeira fase da Copa Libertadores de 2018, conhecida como “pré-Libertadores”. O clube carioca recebeu a visita da já rebaixada Ponte Preta e, com o apoio de sua torcida, venceu os paulistas pelo placar de 2 a 1, na última rodada do Campeonato Brasileiro.

Ao final do duelo, o Vasco garantia vaga à fase de grupos da Libertadores. No entanto, o Flamengo venceu o Vitória e “roubou” a vaga do Cruzmaltino. Com isso, o Vasco termina sua participação na Série A na sétima colocação, com o Flamengo na sexta – última vaga que garante vaga na fase de grupos. No entanto, se o Flamengo vencer a final da Copa Sul-Americana, a vaga na fase de grupos pode ser “devolvida” ao Vascão.

Os milhares de torcedores que foram ao estádio São Januário presenciaram a suada vitória vascaína. O Cruzmaltino demorou a encontrar seu jogo e chegou a ser pressionado pela Ponte, mas viu Paulinho marcar ainda no primeiro tempo. Nenê também teve chance de deixar o seu, porém, desperdiçou cobrança de pênalti – o único que o Vasco teve a favor em todo o Brasileirão. No segundo tempo, o jovem Mateus Vital mostrou oportunismo e sacramentou a vitória por 2 a 0. Já no fim da partida, Lucca marcou de pênalti para a Ponte.

Já a Ponte Preta só tem motivos para lamentar. O clube paulista já havia sido rebaixado à Série B do próximo ano, e se despede da elite do futebol nacional com derrota dura para o Cruzmaltino. Agora, a indefinição toma conta da Ponte, que perderá jogadores importantes do elenco, como o atacante Lucca, que retorna ao Corinthians.

Já rebaixada, a Ponte iniciou a partida mais solta do que nos últimos jogos, tocando bem a bola no ataque. O time se mostrava calmo e o ataque, comandado por Lucca, chegava a assustar os torcedores vascaínos que lotaram São Januário.

O Vasco demorou para “entrar no jogo”. A equipe encontrava dificuldades para manter a posse de bola e acabava esbarrando na marcação da Ponte, que não era das mais duras. A partir dos 20 minutos, a equipe, sob o comando de Nenê e Evandro, passou a rondar a zaga dos ponte-pretanos, e Nenê quase abriu o placar. O meia começou a jogada ofensiva e tabelou com Evander, antes de finalizar firme de pé esquerdo e chutar próximo do travessão.

Ainda com a partida muito aberta, o Vasco conseguiu abrir o placar. O meia Nenê carregou a bola na lateral direita e tocou para Yago Pikachu, que cruzou na medida para o jovem Paulinho ganhar do marcador e cabecear no canto direito do goleiro Aranha.

Apesar após de sair na frente do placar que o Vasco passou a dominar a partida. Com os jogadores da Ponte Preta visivelmente abatidos, os cariocas foram ao ataque e ficaram muito perto de ampliar, depois do juiz marcar pênalti para o Vasco em lance faltoso do lateral-esquerdo Jeferson – o primeiro pênalti marcado a favor do Vasco no Brasileirão. Na cobrança, Nenê chutou fraco de perna esquerda e acertou a trave esquerda, desperdiçando grande chance.

Nervosos, os ponte-pretanos se envolveram em confusão com o árbitro Rafael Traci após pedirem pênalti de Paulão em Wendel. Com mais liberdade para jogar, já que a Ponte passou a buscar o ataque, o Vasco voltou a balançar as redes, com Paulinho, mas o árbitro marcou impedimento do jovem vascaíno, levando sonoras vaias da torcida em São Januário.

Ainda muito abaixo do futebol que apresentou durante boa parte do Campeonato Brasileiro, principalmente no primeiro turno, a Ponte Preta foi mais aguerrida no segundo tempo, e passou a brigar muito no meio-campo.

Buscando o segundo gol, o técnico Zé Ricardo optou pelas entradas de Mateus Vital e Jean, nos lugares de Nenê e Evander respectivamente. As mudanças do comandante vascaíno fizeram efeito e o jovem Vital ampliou o marcador. Aos 28 minutos, o jovem mostrou oportunismo e completou para o fundo das redes após aproveitar rebote do goleiro Aranha.

Já no fim do jogo, o atacante Lucca marcou seu 13º gol no Brasileirão. Jean derrubou Saraiva dentro da área e o juiz marcou pênalti. Na cobrança, Lucca bateu firme e diminuiu o placar: 2 a 1.