Esportes

Treinador completa dois anos a frente do comando técnico do Mutum com conquistas históricas

Num estado considerado periférico em que o calendário futebolístico dura pouco mais de quatro meses, um profissional da bola vem fazendo história em Mato Grosso. De nova safra de treinadores no país, William de Mattia popularmente conhecido como Dema já completou dois anos a frente do comando técnico do Nova Mutum, hoje mais um clube do interior do Estado em ascensão. É, sem dúvida, o profissional com mais tempo a frente de uma equipe, pelo menos na região Centro-Oeste, onde já conta com Atlético Goianiense e Cuiabá na principal divisão do Campeonato Brasileiro.

Neste período, Dema já coleciona conquistas históricas para a equipe de Mutum. Em seu primeiro ano de trabalho na metade de 2019, ele comandou o inédito acesso da Segunda Divisão para a Primeira do Campeonato Mato-grossense. A ascensão não foi suficiente ao projeto do clube nascido numa região conhecida pela sua força no agronegócio.

Na primeira experiência na principal divisão regional, surpreendeu a todos no Estadual, marcado pela longa paralisação por causa da pandemia do novo coronavírus. Começou em janeiro de 2020, parou em março e que só termina em dezembro do mesmo ano, com o Mutum levando a melhor em cima do tradicional União de Rondonópolis. Com a conquista, automaticamente Nova Mutum conseguiu sua participação inédita na atual Copa do Brasil – o time foi eliminado na primeira fase pelo Tombense -e também na Quarta Divisão do Campeonato Brasileiro, competição que a equipe está tentando classificação para o mata-mata.

A história de sucesso de Dema já se confunde com a crescente do Nova Mutum no cenário, já que a diretoria tem por projeto principal ocupar o espaço que um dia já foi ocupado pelo Luverdense, hoje sem divisão no cenário nacional após ter feito sucesso na Série B do Brasileirão de 2014 a 2017, quando amargou seu atual descenso. Dema conta com respaldo da diretoria do Nova Mutum na formação do elenco de jogadores.

A Gazeta (foto: Só Notícias/Lucas Torres)