quinta-feira, 29/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Santos vence e está bem próximo de se classificar na LIbertadores

PUBLICIDADE

De uma vez, o Santos quebrou duas escritas e só depende de um empate em casa para ir à próxima fase da Copa Libertadores da América. Na noite desta quarta-feira, o Peixe superou a má arbitragem e derrotou o Danubio por 2 a 1, em Montevidéu. Desta forma, o atual campeão brasileiro tornou-se o primeiro clube a obter pontos fora de seus domínios no equilibrado grupo 2. As oito partidas anteriores foram vencidas pelos mandantes. Além disso, o Santos passou invicto nos dez minutos iniciais da partida, situação inédita em cinco jogos no torneio sul-americano neste ano.

Mas a conquista do tão sonhado triunfo não foi nada fácil para o alvinegro paulista. No acanhado estádio Luís Frazini, a delegação brasileira optou por nem passar nos vestiários e entrou direto no gramado.

Em campo, sobraram reclamações para os santistas no primeiro tempo. Após evitar um gol nos dez primeiros minutos, o Santos teve o domínio das ações e viu o assistente impugnar dois gols de Deivid por impedimento.

O primeiro foi aos 17, quando o atacante aproveitou cruzamento de Paulo César. O lateral Léo, que não participou da jogada, é quem estava irregular. Três minutos depois, o camisa nove voltou a marcar e, apesar de ter condição, o assistente anulou outra vez.

Na etapa final, o Danubio voltou melhor e abriu o placar já aos sete minutos com o volante Pouso. O técnico Gallo colocou Basílio e foi premiado aos 21, com o atacante cruzando para Deivid marcar e, enfim, ver o lance validado. O substituto ainda conseguiu a expulsão do lateral Cafu, aos 33 minutos.

Seis minutos depois, o Santos obteve a virada. Ricardinho cruzou, Basílio matou no peito, bateu cruzado, Ávalos não alcançou, mas a bola bateu no atacante Risso, que desviou contra as próprias redes.

Com o triunfo, o Santos assume a liderança da chave, com nove pontos, e só depende de um empate contra o Bolívar, em casa, na última rodada em 11 de maio. Já os uruguaios encaram a LDU, em Quito. Antes, o Santos volta a campo neste domingo para enfrentar o Paysandu, em casa, na abertura do Campeonato Brasileiro.

O jogo
As polêmicas declarações do técnico do Danubio levou a um clima de guerra já nos vestiários. O Santos optou por sequer entrar no local e, assim que chegou ao estádio Luis Frazini, entrou no gramado.

Após dez minutos de espera, o time uruguaio entrou em campo e começou melhor no jogo. Aos nove, o atacante Salgueiro fez jogada pela direita, cruzou, Leonardo cortou e Risso não conseguiu aproveitar. Atento, o Santos conseguiu, enfim, vencer a escrita de tomar gol na Libertadores em menos de dez minutos de jogo.

E ainda tratou de ir ao ataque, mostrando a ofensividade prometida pelo técnico Gallo. Aos 17, o Peixe sentiu outra vez o peso das reclamações do Danubio. Na véspera da partida, Pelusso contestou a escalação do argentino Héctor Baldassi e temeu pela imparcialidade nas marcações.

O discurso tratou de ser confirmado no campo, mas pelo lado contrário. Na primeira boa chance dos visitantes, Paulo César cruzou, dois zagueiros uruguaios desviaram e sobrou para Deivid que, livre, apenas tocou para a meta vazia. Porém o assistente invalidou o lance, marcando posição de impedimento de Léo, que sequer participou da jogada.

Enquanto o Santos ainda reclamava, os uruguaios assustaram em finalização de Silva, que bateu próximo à trave. Aos 20 minutos, nova revolta santista. Robinho dominou na entrada da área, tocou para Ricardinho, que cruzou para Deivid marcar e ver novamente o assistente dar impedimento. Pelas imagens da TV, a posição do camisa nove era legal.

Com dois gols anulados, o Santos passou a ficar mais preocupado com o árbitro e deixou o Danubio criar duas boas oportunidades. Aos 32, Lima arriscou da entrada da área, mas Henao pegou fácil. Três minutos depois, Lima cruzou para Risso, que deu um peixinho e o colombiano voltou a fazer bela defesa.

Gol, substituição e virada – Na etapa final, o Danubio voltou com uma melhor armação e soube explorar os espaços na zaga brasileira. Com isso, o alvinegro acabou sofrendo com o “mal do início” e viu o time da casa abrir o placar logo aos sete minutos.

Em cobrança de falta de Lima, Ávalos desviou, tirou o goleiro Henao e o volante Pouso, já em cima da linha, completou para as redes. Apesar do gol, o Santos não se abalou e Bóvio exigiu boa defesa de Barbat, dois minutos após o tento uruguaio.

Aos poucos, o Peixe retomou o domínio do meio-campo e o técnico Gallo colocou Basílio no lugar de Zé Elias. A alteração deu resultado com o Santos chegando ao empate, aos 21, em jogada do atacante. Ele recebeu de Ávalos, foi à linha de fundo e cruzou. O zagueiro Melo não cortou, Robinho passou da bola, mas Deivid não. O camisa nove fez de cabeça e, desta vez, pôde enfim comemorar.

Seis minutos depois, Bóvio lançou Robinho, que acabou desarmado na hora da finalização por Vieira. Aos 33, Basílio voltou a usar sua velocidade, foi derrubado por Cafu, que acabou expulso pelo árbitro, já que tomou o segundo cartão amarelo. E, cinco minutos depois, o atacante decidiu.

Em cruzamento de Ricardinho, Basílio matou no peito e bateu cruzado. Ávalos não alcançou a bola, mas ela desviou no atacante Risso e deu a virada ao Peixe. Aos 42, Henao fez grande defesa em cabeçada de Vieira e garantiu a vitória, que deixou o Santos muito próximo da classificação.

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

Seguem abertas inscrições gratuitas para escolinhas esportivas em Sinop

Estão abertas as inscrições para novas turmas de iniciação...

Cuiabá conhece adversário das oitavas na Copa Verde

Bicampeão da Copa Verde, o Cuiabá conheceu o seu...
PUBLICIDADE