Esportes

Na estreia de Aguirre, Jean falha e São Paulo perde do São Caetano

O uruguaio Diego Aguirre começou mal a sua trajetória como técnico do São Paulo. Na ensolarada tarde deste sábado, com uma atuação apática, o time tricolor perdeu por 1 a 0 para o São Caetano, no Estádio Anacleto Campanella, pelo jogo de ida das quartas de final da competição.

A partida ainda marcou o reencontro de Pintado, técnico do Azulão, com o São Paulo, por quem trabalhou como auxiliar entre 2016 e 2017. Responsável pela ascensão do time do ABC no torneio estadual, o treinador viu sua equipe dominar boa parte do confronto e sair vitoriosa, graças a gol de Chiquinho. O Tricolor, com Diego Souza e Nenê entre os titulares, se mostrou lento mais uma vez e deixou o campo vaiado por sua torcida, que foi maioria na casa do rival.

Com o resultado, o São Paulo terá de vencer por dois gols de diferença no Morumbi para se classificar às semifinais sem precisar das penalidades máximas. Convocados por suas respectivas seleções, Rodrigo Caio e Cueva serão desfalques para Aguirre. Ao São Caetano bastará o empate para seguir avançando no Estadual. O duelo de volta está marcado para esta terça-feira, às 21 horas (de Brasília).

O jogo – Bem postado defensivamente, o São Caetano teve a primeira chance de gol da partida. Aos nove minutos, após rápido contra-ataque puxado na direita, Nonato recebeu dentro da área, mas chutou desequilibrado e facilitou a defesa de Jean.

Com a marcação alta, o Azulão dificultava a saída de bola do Tricolor, que errava muitos passes. Aos 16 minutos, Rodrigo Caio teve de fazer falta na intermediária para evitar o ataque adversário. Na cobrança, Alex Reinaldo chutou com força, e a bola passou perto da trave direita de Jean.

Pelo alto, o time da casa novamente chegou com perigo. Aos 29, Chiquinho cobrou escanteio pela esquerda, e Max subiu mais alto que os marcadores para cabecear. A bola saiu rente à trave.

Sem conseguir atacar pelos lados ou pelo meio, o São Paulo passou a abusar dos cruzamentos à procura do apagado Diego Souza. Foram 11 no primeiro tempo, mas nenhum obteve êxito. Já o São Caetano seguiu perigoso nos contra-ataques. No último deles, Nonato bateu forte pela direita e exigiu boa defesa de Jean.

Sem mexer no time, Aguirre viu o São Paulo continuar apático na volta do intervalo. Demonstração disso foi Petros – que já vinha errando muito na partida – perder a bola dentro da área logo no começo da etapa complementar, quando Ermínio girou e finalizou para defesa de Jean.

Aos sete minutos, porém, o goleiro tricolor falhou e não teve quem corrigisse seu erro. Após cruzamento pela direita, Jean saiu mal, não conseguiu afastar, e deixou o gol livre para Chiquinho só empurrar a bola e abrir o placar no Anacleto Campanella.

Em busca da reação, Aguirre promoveu as entradas de Marcos Guilherme, a quem optou por deixar no banco, e Bruno nos lugares de Cueva e Éder Militão. Os visitantes até melhoraram e quase chegaram ao empate aos 20 minutos, quando Diego Souza desviou, de cabeça, cobrança de falta de Nenê. O goleiro Paes, contudo, se esticou todo e mandou para escanteio.

Na base do abafa, o São Paulo esboçou uma pressão nos minutos finais. A última tentativa de Aguirre foi colocar o garoto Liziero na vaga de Jucilei. O São Caetano, entretanto, se manteve bem postado atrás, não deu brechas para o Tricolor buscar a igualdade e saiu na frente nas quartas de final.