Esportes

Mixto precisa de milagre no sábado para não permanecer na Segundona do Estadual

Rebaixado para a Segunda Divisão do futebol mato-grossense, ano passado, após a pior campanha de sua história, pela segunda vez, o que mais poderia acontecer com o Mixto ? Sim, acredite se quiser: ‘o mais querido de Mato Grosso’, dono de mais títulos e clube mais afamado fora do Estado, torce para um milagre acontecer no próximo sábado para não permanecer na Segundona.

Ao empatar em 1 x 1 com o Araguaia, no Dito Souza, na tarde do último domingo o alvinegro praticamente deu adeus às chances de classificação para o acesso. Como o primeiro colocado Academia, de Rondonópolis, já subiu, e, o segundo, Sport Sinop tem dois pontos a mais na tabela, só uma hecatombe pode mudar isso.

Com 6 pontos, se vencer o já classificado Academia, na última rodada, o Mixto chegaria a 9 pontos. O problema é que o Sinop tem 8 e encara o mesmo Araguaia, que aliás, jogou a partida de domingo como se fosse uma final de Copa do Mundo. O comportamento surpreendente do clube eliminado de Barra do Garças, levantou muitas suspeitas. De time mais vazado da competição, de repente o Galinho da Serra’ virou um Leão, e o goleiro o herói da partida.

Pior que isso foi constatar a ridícula apresentação alvinegra, que salve raríssimas exceções, ficou mais parecida com pelada de futebol amador do que um jogo decisivo. Diante disso a reportagem de A Gazeta tentou ouvir o presidente do clube alvinegro, Vinícius Falcão e o técnico Eduardo Henrique, mas nenhum dos dois quis falar; nem mesmo sobre a triste realidade que levou um clube com tanta história a sucumbir.

Nos bastidores, não sobraram críticas: “Fiquei com vergonha vendo esse time jogar, não tem nada do Mixto, triste!”, comentou o ex-goleiro Washington Dornelles, ídolo do clube entre os anos 1970 e 80.

A Gazeta (foto: assessoria/arquivo)