quinta-feira, 18/julho/2024
PUBLICIDADE

Jogadores dos times de Rondonópolis dividem futebol com a religião

PUBLICIDADE

Além dos gramados, dois atletas de clubes de Rondonópolis, pisam também no altar. Ronaldo Ortega, 31 anos, meia do União, fora das quatro linhas, é pastor da Igreja “Jesus Está no Comando”, que fica no centro da cidade. Também na região central, fica a Igreja “Internacional da Graça de Deus” e quem atua como obreiro, é Carlos Eduardo da Silva, no mundo do futebol, conhecido por Zumbi, atacante do Vila Aurora.  Dividindo a profissão e a religião, os dois tem uma vida normal. Mas procuram levar a espiritualidade para os colegas jogadores.

Ronaldo Ortega, é evangélico desde 2005. Porém, há 1,5 ano, virou pastor e conseguiu com que a maioria dos jogadores do União, seguisse a sua doutrina religiosa. É ele que ora antes dos treinos, viagens e jogos. “O fato de termos uma religião, tem ajudado na união do grupo”, disse ao jornalista Lucas Perrone, do jornal A Tribuna.

No Tigrão da Vila, o atacante Zumbi, há mais de um ano, conta que quando começou ir à igreja, sente que a vida tem agido como um canal de aproximação. “Eu sempre que posso, chamo o pessoal para ir à Igreja”, contou. O jogador, no entanto, já antecipou que assim que deixar o futebol, vai trabalhar para ser pastor.

A fé dos dois, é a mesma de milhares de torcedores rondonopolitanos, que quarta-feira (21), se dividem para torcer pelos dois times, que decidem a classificação para a final do campeonato matogrossense. No primeiro jogo, o União venceu por 1 a 0 e joga pelo empate ou vitória. Já o Vila terá que vencer por uma diferença de dois gols, para se classificar direto. Vitória por um gol, a disputa da vaga, vai para os pênaltis.

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

PUBLICIDADE