domingo, 26/maio/2024
PUBLICIDADE

Henrique marca no final e Cruzeiro arranca empate do Grêmio

PUBLICIDADE

O domingo parecia ser o dia do Grêmio conseguir a primeira vitória fora de casa no Campeonato Brasileiro. A 11ª rodada era para ser a da saída da incômoda zona do rebaixamento. O grande problema é que a fase não é boa. É péssima. Sem nenhuma relação com os problemas gremistas, o Cruzeiro arrancou um empate por 2 a 2, com gol aos 41 minutos do segundo tempo.

O projeto da primeira vitória do Tricolor segue no papel, mantendo a fragilidade de Silas no comando da equipe. Mesmo não atuando bem, os mineiros aproveitaram as chances que tiveram.

O Cruzeiro sempre foi o anticlímax do Grêmio. Quando o Tricolor abriu o placar no minuto final do primeiro tempo, com Borges, Henrique precisou de 50 segundos da segunda etapa para empatar. Os visitantes insistiram, tentaram. Esforçaram-se ao máximo. O segundo gol saiu com Jonas, cobrando falta. Mas o dia era de Henrique brilhar, desta vez, aos 41 do segundo tempo.

O empate mantém o Tricolor na parte de baixo na tabela, ocupando o 18º lugar, com 11 pontos. O Cruzeiro segue fora do G-4, sendo o sexto colocado, com 16 pontos.

A próxima rodada será de clássicos. O Cruzeiro jogará contra o Atlético-MG, enquanto o Grêmio enfrenta o Inter.

O jogo – As improvisações marcaram as escalações dos dois times. No Cruzeiro, Cuca optou por deslocar o volante Fabinho para a zaga e o lateral Jonathan para o meio. Silas, no Grêmio, adotou o 3-5-2 com Hugo e Maylson nas alas. Mesmo com a dupla apagada, funcionou. O sistema com três defensores encorpou a equipe gremista.

A formação deu liberdade total para Jonas, Borges e Douglas. Apesar do terceiro estar apagado, foi o suficiente para o Tricolor ter superioridade no início. Em dez minutos, os gaúchos arremataram em dois chutes de fora da área, explorando lances de velocidade.

A dupla de volantes cruzeirense cedia muito espaço, dando trabalho para a sua defesa conter as investidas do adversário. Sem o apoio dos laterais, os mineiros chegavam no campo ofensivo com pouca gente. O primeiro arremate saiu somente aos 20 minutos, com Jonathan. Na sequência, Robert também tentou sem obter sucesso.

No primeiro avanço de Maylson, aos 26 minutos, o ala gremista entrou em diagonal, tocando para fora, em arremate em cima da linha da pequena área.

A vantagem do Grêmio persistia devido à má marcação dos donos da casa. Antes do fim do primeiro tempo, Borges se antecipou ao zagueiro e ao goleiro Fábio, testando para dentro do gol.

Em um dia normal, ir às redes aos 45 do primeiro tempo, fora de casa, seria indício de que tudo estava no caminho certo. Esse não é o momento do Grêmio. Em crise, o Tricolor precisou de 50 segundos para ver sua vantagem se desmanchar. Após cruzamento, Thiago Ribeiro tocou para Henrique empatar.

O gol cruzeirense abriu o confronto, dando uma emoção até então inexistente. A razão estava na entrada do atacante Sebá na vaga de Rômulo. No jogo mais franco, os gremistas seguiram rondando a área do rival. O Cruzeiro, por sua vez, ameaçava mais do que na primeira etapa.

Enquanto o Cruzeiro vivia de esporádicas boas jogadas, o Grêmio era insistente, incisivo e, por vezes, perigoso. Aos dez minutos, Borges girou sobre o zagueiro e tocou sobre o gol. Depois foi a vez de Jonas, em chute estranho, a bola do atacante passou próxima do gol de Fábio.

Jonas deu novo alívio ao Grêmio. Cobrando falta, aos 34 minutos, o atacante colocou o time de Silas na frente. O gol daria a primeira vitória fora de casa e a saída da zona de rebaixamento. Tudo isso esteve a 11 minutos de distância.

Só que no meio do caminho, o goleiro Victor saiu mal do gol, após cobrança de escanteio, e Henrique tocou de cabeça para empatar, aos 41 minutos, e terminar com a alegria gaúcha.

 

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

PUBLICIDADE