Esportes

Federação estuda alternativas para aumentar público no Mato-grossense

A baixa média de 400 torcedores por partida válida pelo Campeonato Mato-grossense da Primeira Divisão deste ano está levando a Federação Mato-grossense de Futebol (FMF) a pensar em alternativas para que este número cresça até a fase final do Estadual. Até a quinta rodada da primeira fase, encerrada na última segunda-feira, pouco mais de 9 mil torcedores haviam ido aos estádios em 23 jogos.

Nos dados levantados em cima dos boletins financeiros da federação, o jogo inaugural envolvendo Operário Várzea-grandense e Poconé foi o que registrou maior público, com 1,6 mil presentes, até agora. A vitória apertada do Sinop de 1 a 0 em cima do Poconé foi outro confronto que levou um público considerável, com 1.232 pessoas nas arquibancadas do estádio Gigante do Norte.

Os clubes da capital do Estado ainda não conseguiram levar mais de mil torcedores em seus jogos. Atual bicampeão mato-grossense e dono da melhor estrutura entre os dez participantes, o Cuiabá tem registrado um público de 800 pagantes em suas partidas.

O diretor de Competições da entidade Diogo Carvalho confirmou que ações para aumentar o público estão em andamento. Segundo ele, há uma movimentação em curso que a partir da sétima rodada haverá atrações para atrair ainda mais o torcedor no estádios de futebol da Primeira Divisão.

Para Diogo, a baixa média de público no Estadual não é um problema só do Mato-grossense. “Outros campeonatos estaduais também têm problemas de público. A exceção no Brasil é só o Flamengo”, assinalou o dirigente.

A Gazeta (foto: assessoria)