segunda-feira, 26/fevereiro/2024
PUBLICIDADE

Brasil enfrenta a Argentina hoje na final da Copa das Confederações

PUBLICIDADE

Brasil e Argentina são considerados os principais favoritos ao título mundial em 2006 na lista de grande parte dos especialistas em futebol. Hoje, a menos de um ano do pontapé inicial da Copa do Mundo, também na Alemanha, os dois gigantes sul-americanos fazem uma prévia do Mundial, na decisão da Copa das Confederações. A partida em Frankfurt começa às 14h45.

Além do confronto por si só entre os tradicionais rivais, que duelam desde 1914 nos campos de futebol, as atrações da partida são muitas para o amantes do esporte mais popular do planeta.

Apesar de se enfrentarem há 91 anos, pela primeira vez os dois países, com as seleções principais, vão decidir um torneio oficial da Fifa.

Os dois ganharam a Copa das Confederações uma vez cada (Argentina em 92 e o Brasil em 97) e tentam se igualar à França, a única bicampeã (2001 e 2003) até esta quarta.

O jogo também marca o duelo dos jogadores reconhecidos pela habilidade: Ronaldinho Gaúcho e Riquelme. Os dois são amigos desde 2003, quando atuaram juntos por pouco tempo no Barcelona. A chegada do brasileiro reduziu no clube espanhol o espaço do argentino, que foi negociado com o Villareal.

– Com certeza, esse confronto será um espetáculo à parte. Ronaldinho Gaúcho é o melhor do mundo, tem uma imaginação e uma habilidade ímpar dentro de campo, enquanto Riquelme, embora menos magistral, é mais incisivo, mais direto. O ideal seria ter os dois no mesmo time ou em uma mesma seleção. São gênios – diz o técnico Carlos Alberto Parreira.

Antes do duelo, os dois treinadores adotaram posturas inversas. Parreira fugiu do seu estilo tradicional e definiu a escalação da equipe logo após a vitória sobre a Alemanha, antecipando o entrada de Cicinho no lugar de Maicon. Adriano se recuperou de um pisão no treino de segunda-feira e está escalado.

Já o argentino Jose Pekerman faz mistério sobre a escalação, alegando que precisa verificar a condição física dos atletas. Sem poder contar com Saviola, expulso na semifinal contra o México. Figueroa é aposta ofensiva dos argentinos.

– (Ele) teve grandes atuações, marcou muitos gols, gols importantes. Se o tivermos em condições, será um jogador fundamental para a partida contra o Brasil – disse o misterioso Pekerman.

COMPARTILHE:

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais notícias
Relacionadas

PUBLICIDADE