Educação

Seduc diz que pretende acabar com “salas de lata” em Sinop e outras cidades até o final do ano

A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) está fazendo um levantamento para redimensionar os alunos, que estudam em salas de container. A retirada total dos módulos metálicos está prevista ainda para esse ano, conforme informou à pasta, em resposta ao requerimento do primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, deputado Max Russi (PSB).

Conforme o ofício, enviado à Casa de Leis, seriam 41 estruturas divididas entre 12 escolas do Estado, localizadas nos municípios de Campo Verde, Sapezal, Sinop, Santo Antônio do Leverger, Vila Rica, Confresa, Rosário Oeste, Barro do Bugres e Cuiabá.

Ainda de acordo com o documento, a Seduc teria realizado um levantamento prévio, quanto a utilização desses containers, em conjunto com a Coordenadoria de Microplanejamento Escolar, onde constatou que 18 deles poderiam ser retirados de imediato. Segundo a secretaria, a empresa responsável pela locação e instalação dos módulos teria sido notificada no último dia 12 de março, para que fossem removidas essas unidades.

Uma reportagem exibida em rede nacional no início do ano revelou que o governo do estado alugou, por meio de dispensa de licitação, 110 containers para nove escolas da rede estadual de ensino. A matéria revelou que a ausência de manutenção básica nessas estruturas teria resultado na deterioração das salas de metal, bem como fios expostos, materiais inflamáveis e calor excessivo, o que também levou alunos a apelidarem de “salas de lata” e “fornos gigantes”.

Redação Só Notícias (foto: Junior Silgueiro/assessoria)