Educação

Quatro professores tem candidaturas deferidas para cargo de pró-reitor da UFMT em Sinop

A comissão de consulta pública da Universidade Federal de Mato Grosso deferiu todas quatro candidaturas ao cargo de pró-reitor do campus de Sinop. A votação está marcada para acontecer no próximo dia 12 de novembro, em turno único, com as campanhas iniciando uma semana antes. A consulta será por meio digital, com auxílio e supervisão da Secretaria de Tecnologia da Informação (STI) e o mandando é de quatro anos.

Um dos candidatos e que tenta a reeleição é Roberto Carlos Beber. É graduado em Ciências Agrárias e mestre em Extensão Rural, pela Universidade Federal de Santa Maria. Graduado em Fisioterapia, mestre em Ciências Morfológicas e doutor em Ciências da Saúde, outro candidato é Ricardo Wilson de Pinho Rodrigues.

Já Fábio José Lourenço é graduado em Medicina Veterinária, com mestrado e doutorado em Zootecnia, ambos os títulos pela Universidade Estadual de Maringá. Também com graduação em Medicina Veterinária, além de mestrado e doutorado em Ciências Veterinárias, pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Ian Philippo Tancredi, fecha a lista de nomes.

De acordo com o regulamento da consulta pública, a apuração e divulgação do resultado preliminar serão no dia 13. Até o dia 16, os candidatos pode entrar com recursos sobre o apuração, que serão avaliados em 17. No dia 18, haverá divulgação do resultado final.

A consulta iniciará às 8h, se estendendo até às 22h. Não foi divulgado, porém, o endereço para votação. São votantes no pleito os servidores do campus de Sinop (técnicos administrativos e docentes) ativos (permanentes, substitutos e voluntários) e os alunos regularmente matriculados nos cursos de graduação e pós-graduação, ainda, que estejam em efetiva participação das atividades acadêmicas.

Já a propaganda e a campanha da consulta têm como finalidade apresentar e debater propostas e ideias relacionadas às finalidades e interesses da instituição. É vedado aos candidatos, no entanto, receberem doação ou qualquer espécie de recursos financeiros da UFMT, fundações, empresas, instituições jurídicas e entidades representativas dos seguimentos técnicos, docentes e estudantis. A propaganda deve ser realizada por meios eletrônicos, sem divulgação de pesquisas.

Só Notícias/Luan Cordeiro (foto: assessoria/arquivo)