Educação

Processo vai garantir isonomia na seleção de professores interinos e técnicos da Educação em MT, diz secretário

A realização do Processo Seletivo Simplificado para contratação temporária de profissionais da Secretaria de Estado de Educação, para o ano letivo de 2022, atende um pleito antigo da categoria e segue orientação dos órgãos de controle, afim de garantir isonomia na seleção dos professores e técnicos que irão atuar na rede estadual de ensino. Conforme o secretário de Educação, Alan Porto, o certame vai oportunizar que todos concorram com equidade, conferindo um ensino de maior qualidade para os estudantes.

“Os candidatos serão avaliados por meio de provas objetivas e discursivas, além de promover pessoas nos 15 polos de maneira que não falte servidor em nenhuma escola. Quem ganha com isso são os alunos, que terão aulas melhores, já que o teste vai selecionar professores com mais conhecimento entre os interinos”, destacou Porto, através da assessoria.

O processo tem como objetivo a seleção de professor, técnico administrativo educacional e apoio administrativo educacional para contratação temporária em demandas que não são caracterizadas como vagas de concurso, tais como aulas residuais e licença médica, para substituir servidores efetivos que, anualmente, são designados para funções como diretor, coordenador, secretário, assessor pedagógico na rede escolar.

O certame é organizado pelo Instituto Nacional de Seleções e Concursos (Instituto Selecon), sem custo para o Estado, já que o pagamento da empresa se dá por candidato inscrito. Após aprovados, os profissionais deverão passar, ainda, por avaliação semestral de desempenho, que irá analisar o cumprimento de requisitos mínimos como assiduidade, realização de diário de classe, plano de aula, entre outras obrigações.

Desde 2019, a Seduc, vem promovendo uma série de avanços na rede pública de ensino do Estado, otimizando a utilização dos recursos disponíveis. Destacam-se as inúmeras reformas e ampliação dos prédios das escolas, o aumento na oferta de vagas para a Educação de Jovens e Adulto, a substituição dos antigos Cefapros pelas novas Diretorias Regionais de Ensino em todas as 15 regiões do Estado e a implantação de processo seletivo para o cargo de diretor escolar, em atendimento à decisão judicial que veda a eleição para diretores e outros cargos de indicação privativa do Executivo.

Além disso, a realização do PPS pelo Instituto Selecon, sem custo para o Estado, trouxe economia e lisura para o processo de contratação desses profissionais, que até então eram selecionados exclusivamente pelo regime de contagem de pontos.

O Intituto Selecon foi contratado na modalidade ‘contrato de risco’. Neste caso, a empresa é remunerada pelas taxas de inscrição. Até o momento, o processo seletivo já conta mais de 10 mil inscritos, dos quais 3 mil conseguiram isenção do valor da inscrição

Redação Só Notícias (foto: Só Notícias/Guilherme Araújo/arquivo)