Educação

Escola Técnica em Sinop promove intercâmbio de informações da agricultura familiar

A Escola Técnica Estadual de Sinop realizou um intercâmbio de conhecimento e informações com a equipe da União Nacional das Cooperativas de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) de Rondônia. A equipe destacou possibilidades de fortalecer a agricultura familiar e agroecológica a partir do processo de industrialização e comercialização dos produtos cultivados na unidade.

Segundo a pedagoga da escola, Maria Luiza Troian, bem como a equipe da Unicafes recebeu conteúdos, também apresentou produtos e processos inovadores. “Foi um verdadeiro intercâmbio de conteúdos e ações, pois recebemos informações e também mostramos como implantamos o projeto da Incubadora Social”.

Durante a visita a equipe da Unicafes apresentou alguns de seus produtos, da agricultura familiar e agroecológicos. Segundo o conselheiro presidente da organização, Sandro Souza da Silva, o encontro possibilitou relatos de experiências bem sucedidas e possibilidades de fortalecimento da produção de renda da agricultura familiar.

“Com este encontro poderemos prospectar novos parceiros para fortalecer o cooperativismo solidário, que a Unicafs representa, além de termos ficados muito gratos pelo trabalho executado pela escola, que realmente valoriza a produção saudável e oferece produtos bons para a sociedade”, ressaltou.

A unidade ampliou a ação da Incubadora, ao participar do projeto Gaia (Rede de Cooperação para a Sustentabilidade), que tem como objetivo propiciar a melhoria do processo de gestão para comercialização dos gêneros agroecológicos produzidos pelos agricultores familiares.

De acordo com a coordenadora do Gaia, Rafaella Arantes, o encontro foi importante para conhecer produtos e a dinâmica da agricultura familiar no estado vizinho. Na oportunidade ainda foram discutidos a possibilidade de se constituir uma feira de produtos agroecológicos na região.

“O objetivo do Gaia é construir um ecossistema sustentável na nossa região, contemplando desde a produção até a comercialização. Dessa forma, entendemos que a educação profissional tem papel fundamental nesse processo, possibilitando que os estudantes experimentem novas formas de se relacionar com o trabalho e as novas formas de produção e consumo que vem sendo demandadas no últimos anos”, disse a coordenadora do Gaia.

O projeto também conta com o apoio de outras instituições, como a Universidade Federal de Mato Grosso, a Universidade do Estado de Mato Grosso e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária .

Redação Só Notícias (foto: assessoria/arquivo)