Educação

Escola Militar em Sinop aguarda decisão judicial para abrir edital com 60 vagas

A Escola Estadual Militar Tiradentes em Sinop ainda aguarda uma decisão judicial para realização de seletivo para novos alunos. Foram suspensas 53 convocações e a realização de um novo certame para 7 vagas, em dezembro após a contestação de alunos da chamada dos candidatos do cadastro reserva, realizado para aulas do ano passado. “A escola iniciou durante o ano letivo em andamento e no ano passado foi lançado o edital para 500 vagas e deu mais de 1,5 mil candidatos. Iniciamos o ano letivo no dia 20 de setembro e quando foi novembro, quando é o período que as escolas militares lançam o edital para matrícula no ano seguinte, fizemos esse seletivo que sobrou mais de 1 mil candidatos”, explicou o diretor da escola e major da PM, Manoel Dantas.

De acordo com Dantas, com a abertura das 60 vagas houve uma tentativa de aproveitar os cadastros reservas, tendo em vista o alto número de candidatos que teve o último edita, há dois meses. “Como havia um grande número no cadastro reserva e abriu vagas só para o 7º ano, sobrou uma sala de aula para essa série, 30 alunos na parte da manhã e 30 na parte da tarde, então convocamos os alunos do cadastro reserva, que no caso foram 60 e desses candidatos 53 apresentaram regularidade documental e sobraram então 7 vagas, foi quando lançamos o edital para 2022 oferecendo essas vagas, mas teve alunos que contestaram que deveriam ter sido ofertado as 60 vagas”.

Com a decisão judicial, acabou sendo cancelado o seletivo com as 7 vagas e a convocação dos 53 candidatos. “Todos os candidatos foram notificados por ordem judicial, orientamos a matricular nas escolas de origem onde eles estavam, o edital que foi aberto com as 7 vagas também foi cancelado”.

O major ainda revelou que “a assessoria jurídica da Polícia Militar mandou no ano passado mesmo e estamos aguardando o parecer final do juiz, a posição da instituição foi de então, já que foi cancelado, que tivesse outro seletivo ofertando a vaga para todos, cancelando o cadastro reserva e oportunizando a vaga para todos, mas para a gente lançar o edital a gente precisa da decisão final do juiz”.

A proposta da Escola Militar, segundo Dantas, é a realização de uma nova inscrição e um novo seletivo com as 60 vagas. “É abrir um novo edital abrindo essas vagas para o 7º ano, tendo que fazer a inscrição novamente, mas estamos aguardando a decisão do juiz”, finalizou.

Só Notícias/Kelvin Ramirez (foto: assessoria)