Educação

Alunos da escola militar em Mato Grosso ganham medalhas de ouro na Olimpíada Nacional de Ciências 

Os alunos Rafael Correa Pereira, do 8º ano; Pedro Henrique Coterli, 1º ano, Deborah Laruany de Castro Petry, 9º ano; e Luangabriel Demoura Duarte, do 8º ano, da escola estadual Militar Tiradentes Major PM Ernestino Veríssimo da Silva, em Rondonópolis (212 quilômetros de Cuiabá), ganharam medalhas de ouro na Olimpíada Nacional de Ciências do ano passado. Outros sete estudantes conquistaram medalhas de prata, sete medalhas de bronze e quatro receberam menção honrosa. O resultado foi divulgado, na última quinta-feira

O diretor da escola, tenente-coronel Kleber Franklin de Lima Ferreira, celebrou a conquista dos estudantes e a parceria entre a Polícia Militar, responsável pela gestão da unidade, e a Secretaria de Estado de Educação, responsável pela parte pedagógica.

“Isso ocorreu com muita determinação de todos, porque ninguém constrói nada sozinho. Assim conseguimos atingir o êxito mesmo nesse período de pandemia. Fiquei muito feliz com os resultados conquistados. Houve muita dedicação por parte de alunos, pais de alunos, professores, e trabalho conjunto entre PM e Seduc”, disse.

A escola foi criada em julho de 2019 e tem 549 alunos matriculados no Ensino Fundamental (a partir do 7º ano) e Ensino Médio (1º e 2º ano). Ferreira, que assumiu a direção em janeiro do ano passado, atribui a premiação dos alunos à filosofia que é aplicada na escola militar.

“Honra, disciplina, busca pelos preceitos éticos, cívicos e resgatar nesses estudantes a responsabilidade nos estudos. Tudo isso ajudou a atingir os resultados e queremos que os estudantes participem em mais competições”, afirmou.

Secretário de Estado de Educação, Alan Porto lembra que em Mato Grosso já são 12 escolas militares e a meta do Governo é criar mais 12 até o fim deste ano. “A parceria Seduc e Polícia Militar tem apresentado ótimos resultados, tanto que as escolas militares são as que tiveram os melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica”.

O secretário enfatiza que a parte pedagógica e os professores destas escolas continuam sob responsabilidade da Seduc. “Estamos em um momento de grandes mudanças, com diversas ações sendo implantadas para melhorar a aprendizagem de nossos estudantes. A criação das escolas militares é uma destas ações e ocorre com apoio da sociedade. Em 2020 tínhamos cerca de 3 mil estudantes nas escolas militares e para 2021 já são quase 9 mil”, exemplifica.

A olimpíada integra o programa Ciência na Escola, do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Ministério da Educação, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico e Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior.

Redação Só Notícias (foto: assessoria)