Economia

Sinop espera resposta da Anac para novos voos comerciais

A prefeitura sinopense aguarda a decisão da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) relacionada a proposta de disponibilizar caminhões-tanque (veículo equipado com reservatório para transporte de líquidos) do Executivo no aeroporto municipal presidente João Figueiredo com objetivo de garantir, principalmente, a instalação de mais uma companhia aérea e recebimento de novos voos enquanto o segundo caminhão de combate a incêndio (AP-2) não é adquirido.

A proposta seria provisória e a Secretaria de Indústria, Comércio e Turismo está esperando resposta. “Estaríamos dando suporte com alguns caminhões-tanques nossos, como uma solução paliativa. Propomos para que seja aceita e para não perdemos o voo da Azul”, explicou o secretário Nevaldir Graff (Ticha), ao Só Notícias.

Conforme o gestor, o município assumiu o compromisso com a agência de adquirir o segundo caminhão contra incêndio, no entanto, ele aponta dificuldades a curto prazo já que o investimento é de aproximadamente R$ 1,5 milhão. “Temos que adquirir ou em doação da Aeronáutica, ou com apoio do Estado, mas pedimos um prazo maior [para Anac], até porque não temos orçamento”, destacou.

Enquanto o município aguarda a resposta da agência, mantém as negociações junto ao Estado e Aeronáutica para a aquisição do segundo caminhão, obrigatório após a mudança de categoria do aeroporto que saiu do nível 5 e foi para o nível 6. Somente após a aquisição de segundo é que a Azul Linhas aéreas, que anunciou rota para Sinop em julho, deverá começar a operar no município. A princípio, os inícios dos voos seriam em setembro.

O aeroporto sinopense já tem um AP-2 e atualmente conta com duas companhias com voos diários comerciais para o Sul do país, como também regiões como Brasília, Belo Horizonte (MG), Rio de Janeiro e outros. Há ainda uma terceira empresa com voos para Cuiabá e Lucas do Rio Verde, desde agosto.