Economia

Sinop e Sorriso têm o preço médio do gás de cozinha mais caro de Mato Grosso

O botijão de até 13 quilos de gás liquefeito de petróleo (GLP), em Sorriso e em Sinop, são os mais caros do Estado, entre os sete municípios pesquisados pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural de Biocombustíveis (ANP), entre os dias 27 e 2 desse mês. Na capital do Nortão o preço médio é R$ 102,92 e na capital do agronegócio é um pouco mais caro R$ 103,13.

Em Sinop, o preço máximo do botijão é R$ 110 e o mínimo R$ 100. A distribuidora revende a R$ 81. Em Sorriso, o máximo também é R$ 110 e o mínimo R$ 95. A distribuidora repassa a R$ 79,30. O município que tem o preço médio do botijão mais barato é Várzea Grande  R$ 93,70.

Ontem, o  botijão residencial teve reajuste. O novo preço médio do produto, anunciado pela Petrobras, é de R$ 25,33. No último ajuste, feito em novembro do ano passado, o preço determinado foi de R$ 25,07. O produto tem reajustes trimestrais.

O Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) informou, em nota, que o reajuste vai variar entre 0,5% e 1,4%, de acordo com o polo de suprimento. O Sindigás calcula que o valor do GLP empresarial está 13,4% acima do GLP para embalagens até 13 quilos.

Redação Só Notícias